Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

Sejamos Natal

Por Débora de Oliveira
Publicado em: 24.12.2021 às 03:00

Nada mais simbólico do que o 25 de dezembro como o dia em que Jesus Cristo nasceu em forma de vida real e se tornou humano. A redenção dos povos, que já estavam desacreditados e viram a luz da esperança brilhar para todos.

O que escrevo aqui não é sobre religião, até porque mais de setenta delas usam a Bíblia como referência de história sagrada. O que muda é a interpretação de cada uma, mas a base de ensinamentos é a mesma.

O menino que nasceu entre os humildes, em uma pátria marcada pela pobreza, na simplicidade de uma manjedoura, veio para nos libertar daquilo que de mais inoperante temos buscado no dia a dia: o que tem preço, acima do que tem apreço.

Assim, se fez um de nós para se aproximar do que somos e nos mostrar que nossas imperfeições não são julgadas por ele, e que seu abraço acolhe até mesmo quem sozinho caminha por não achar perdão dos que não os entendem como seres falhos e em constante aprendizado.

Será que estamos olhando para o que de mais precioso precisamos tirar de lição disso que, entra ano e sai ano, segue tentando nos ensinar algo? Em uma época de tamanha exigência sobre o que temos e quem somos, será que não podemos perceber onde precisamos renascer para o que sentimos? Circulamos por todos os lugares, mas será que não estamos saindo do que realmente somos e nos olhando do lado de fora como se fôssemos moldes do que queremos corrigir em nós mesmos, ao invés de viver precisamente nossa essência e fazê-la vibrar com o que é? Somos humanos. O outro que nos cerca é humano. Erramos, ele erra. Aprendemos, ele aprende. Tentamos novamente, ele também recomeça. Buscamos ser ainda melhores, ele também corre atrás da excelência... O que entendemos como nossas formas de tropeço e resiliência, também deve ser visto olhando para o lado e amparando ao invés de julgando.

Então eu gostaria de desejar a vocês um feliz renascer para a humanização. Se essa é a data do nascimento daquele que entendeu como prioridade estender o amor pela humanidade, por que não vamos nós propagar essa sensação libertadora que nos aproxima e nos faz entender além de nós mesmos?

Essa é uma revolução constante que ainda precisamos batalhar para que se perpetue, e só nossas ações podem aproximar em bem viver e bem conviver, todas as pessoas, sem exceção. Então, nascemos nós como nova chance de conexão entre todos. Na certeza que o 25 de dezembro é só uma lembrança do que podemos e devemos impulsionar diariamente. Seja você o Natal que alguém vai brindar um dia.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.