Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

Zona de rebaixamento ou de conforto?

Por Débora de Oliveira
Publicado em: 04.12.2021 às 03:00

Você alguma vez já passou por uma situação que o fez se sentir menos do que realmente é? Já viu sua capacidade subestimada, cedeu a quem minimizou suas qualidades ou se abateu com a depreciação do resultado final dos seus esforços? Difícil, né?!

Mas talvez tenha sido você, os familiares mais próximos, colegas de setor, amigos íntimos, o gestor direto, que devem ter ficado sabendo desse momento abaixo do esperado e das frustrações acumuladas por conta dessa fase de angústia e decepção.

Agora potencialize isso e multiplique para milhares de espectadores do seu fracasso, e entenda que apequenar-se diante dos desafios vai ser algo que dependia de você mas será compartilhado como tropeços também deles. É aí que se percebe o quanto o todo começa em cada um, individualmente, e que o maior dos prédios começou com quem colocou o menor dos tijolos.

O Grêmio se entregou à inferioridade que desconhecia existir depois de tantas glórias recentes. Se escondeu no passado como desculpa para achar que lá estavam as forças, mas lembrar de quando tudo se encaixava não significa imunidade vitoriosa. Quem para no tempo cria a ilusão de força que já não tem mais a mesma medida, e aí não percebe a necessidade de seguir querendo ser cada vez melhor do que já foi… E aí, sim, seguir forte.

As pessoas custam a entender quando falo sobre isso porque sou uma batalhadora de provar que ninguém
é sucesso. Todo mundo que vive uma grande fase está sucesso. Logo ali as coisas podem mudar, e se não seguirmos buscando nossa plenitude, o que um dia fomos não nos fará perceber o que já não somos. Ninguém vive do que já foi, a não ser que continue se esforçando para continuar sendo.

Se nos bastidores é jogo difícil, lidar com a parte externa do que acontece é uma mistura de ousadia, habilidade e coragem!

Porque da "porta pra fora" a exposição acontece e nem sempre chega até nós o que de fato é responsabilidade (ou irresponsabilidade) de alguém "lá dentro". E aí por aqui criamos especulações, teses, teorias, explicações imaginárias do que pode estar acontecendo. E se esse pode ser um final de semana derradeiro, é porque por si só o time se colocou nesse patamar de descrédito.

Perceber nossas falhas é o primeiro passo para corrigirmos nossos próximos atos. Se não avaliarmos com lucidez nossa realidade, jamais vamos evoluir para uma resposta prática e imediata do que não está nos tirando do lugar.

Não precisamos esperar algo negativo acontecer para seguirmos em frente encorajados para novos objetivos. Romper com o que nos causa estagnação é o maior dos impulsos para o crescimento. Hoje já não somos o que fomos ontem. Permanecer no lugar é desonrar sua própria capacidade de ir além.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.