Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região CRIMES NA CAPITAL

Três são presos na região em ação que combate roubo a revendas de veículos em Porto Alegre

Dez homens foram detidos em operação contra quadrilha em sete cidades do RS na manhã desta quarta-feira

Por Redação
Publicado em: 11.05.2022 às 11:35 Última atualização: 11.05.2022 às 12:04

Dez homens foram presos na operação da Polícia Civil contra uma quadrilha especializada no roubo de veículos de revendas de Porto Alegre na manhã desta quarta-feira (11). Segundo a Polícia Civil, três prisões aconteceram na região. Duas no Vale do Caí – em Pareci Novo e Portão – e uma no Vale do Gravataí, em Gravataí.

O grupo criminoso fez, pelo menos, três ataques a estabelecimentos da capital entre o final de 2020 e o começo de 2021. Eles agiram da mesma forma nos três roubos, amarrando as vítimas e levando veículos e dinheiro. O prejuízo é estimado em, aproximadamente, R$ 700.000,00.

Três suspeitos da região são presos por crimes de roubo de veículos de revendas em Porto Alegre
Três suspeitos da região são presos por crimes de roubo de veículos de revendas em Porto Alegre Foto: Polícia Civil

Outras prisões
As demais prisões foram em Porto Alegre (3), Guaíba (2), Alvorada (1) e Viamão (1).

Oito pessoas eram investigadas e foram presas temporariamente. Um homem foi preso em flagrante por posse de arma calibre 38 sem numeração e um estava foragido da Polícia, com a tornozeleira eletrônica rompida, e foi capturado.

Até as 11h20, o delegado responsável pela investigação, Rafael Liedtke, da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos (DRV), não havia informado se algum dos homens detidos na região foi preso em flagrante ou se todos eram investigados por envolvimento na quadrilha. Também não informou se eles eram moradores das cidades.

Investigação

A investigação teve início há mais de um ano, depois da descoberta de uma quadrilha especializada em roubos de veículos que se encontravam à venda em revendas da capital.

A primeira ocorrência que se tem registro foi em 26 de novembro de 2020, quando pelo menos quatro homens armados com pistolas entraram em uma revenda na Avenida Sertório. No local, após amarrarem os funcionários, fugiram com três veículos (Toyota Corolla, Renaul Duster e Ford Fiesta). Levaram também quantias de dinheiro em espécie, telefones celulares, relógios, notebook, cartões de crédito e demais pertences pessoais das vítimas.

Em fevereiro de 2021, a mesma quadrilha entrou em uma revenda no bairro Santana, onde amarraram as vítimas e roubaram dinheiro e pertences. Fugiram levando um funcionário como refém, o qual foi liberado minutos depois já na Avenida Assis Brasil.

A terceira revenda de automóveis, na Avenida Assis Brasil, foi alvo da mesma quadrilha no dia 12 de fevereiro de 2021, quando ao menos três homens armados entraram no local e, após amarrar os funcionários, fugiram levando quatro veículos (dois deles do modelo Jeep Renegade, uma Fiat Toro e uma Fiat Doblo). Como nos outros casos, levaram dinheiro e pertences das vítimas, como celulares, notebooks, relógios e alianças.

Busca e apreensão

A Operação Revenda da Polícia Civil também cumpriu oito mandados de busca e apreensão nesta manhã. A investigação apura os crimes de associação criminosa armada, roubos de veículos, porte ilegal de armas de fogo, receptações de carros roubados e adulteração de sinais identificadores.

Além das prisões, foram apreendidos celulares, uma arma e munições.

Operação

A operação foi coordenada pelo delegado Rafael Liedtke, da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos (DRV), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). A ação contou com o apoio do Grupo de Roubo de Veículos da Brigada Militar (GRV/CPC/BM), teve a participação de 70 policiais civis e militares.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.