Publicidade
Notícias | Região Educação

Escola que está sem aulas por falta de servidores pede apoio em visita de deputado

Contratações foram atendidas pela CRE e expectativa é de retorno presencial nesta semana; educandário também reivindica melhorias na estrutura e acessibilidade

Por Letícia de Lima
Publicado em: 08.06.2021 às 16:49 Última atualização: 08.06.2021 às 17:01

Professores da Escola Carlos Wortmann recebeu o deputado Pepe Vargas nesta segunda-feira Foto: Letícia de Lima/GES-ESPECIAL
Alunos, pais e equipe da Escola Estadual Carlos Wortmann, em Canela, vivem a expectativa de retornar as aulas ainda nesta semana. O educandário não retomou as atividades presenciais devido a falta de servente e merendeira, que apresentaram laudo de comorbidade. Conforme prometido pela 4ª Coordenadoria Regional da Educação (CRE), o sistema da escola aponta que a solicitação das novas contratações foi atendida.

De acordo com a coordenadora regional, Viviani Devalle, o colégio não podia retornar com as aulas presenciais sem estes profissionais que garantem a higienização do local. A diretora da Escola Carlos Wortmann, Maria Rosane de Oliveira, afirma que o educandário do bairro Leodoro de Azevedo está pronto para atender os alunos com todos os protocolos sanitários exigidos.

A contratação para as duas vagas surge após mobilização dos pais de alunos que iniciaram até um abaixo-assinado para reivindicar o retorno presencial. "A comunidade é muito presente e ativa nas questões que envolvem a escola", confirma a diretora Maria Rosane.

Apesar disso, as demandas da escola de ensino fundamental são muitas. Na segunda-feira (7), o deputado Pepe Vargas (PT) esteve na instituição de ensino para verificar as instalações e ouviu dos professores muitas reclamações de descaso do governo do Estado com a escola. Entre os principais pedidos está a melhoria em banheiros, pois hoje há apenas um feminino e um masculino para 178 alunos. Refeitório e acessibilidade são inexistentes na estrutura da escola.

De acordo com o deputado, neste ano não será possível auxiliar a Carlos Wortmann por meio de emendas parlamentares, pois os repasses foram destinados ao combate da Covid-19. A promessa de verba ficou para 2022, e até lá a escola ficou de providenciar projeto para levantar orçamentários e valores necessários para a ampliação da infraestrutura.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.