Publicidade
Notícias | Região Pandemia

Taquara vê casos de Covid aumentarem e terá espaço com maior capacidade para atendimentos

Em apenas quatro dias, foram 19 óbitos por conta da doença. O novo Centro Covid tem 1,5 mil metros quadrados e fica na Avenida Sebastião Amoretti. O prédio estava desocupado e foi oferecido de forma gratuita pelo proprietário

Publicado em: 05.03.2021 às 15:40

Recorde de atendimentos e de mortes por conta da Covid-19. Os números da primeira semana de março mais que chamam a atenção, eles assustam e intimidam os pouco mais de 54 mil habitantes de Taquara, no Vale do Paranhana.

A cidade, que durante a pandemia chegou a ostentar durante um bom tempo a bandeira amarela, hoje se depara com a grande procura e a superlotação do serviço de atendimento. O cenário obrigou a prefeitura taquarense a buscar um novo espaço para operação do Centro Covid. 

CONTEÚDO ABERTO | Leia aqui todas as notícias sobre o coronavírus

O novo local é maior que o atual, tem 1,5 mil metros quadrados e deverá ser entregue nos próximos dias às margens da avenida de maior movimento da cidade, a Sebastião Amoretti. 

O prédio, que está desocupado, foi durante um bom tempo utilizado por uma fábrica de calçados. Devido à ociosidade do local, o proprietário ofereceu gratuitamente, em sistema de comodato, toda a estrutura para que ali sejam atendidos pacientes com suspeita da doença.

Segunda mudança de endereço

 

Esta será a segunda mudança do Centro Covid na atual administração. No início de janeiro, o serviço saiu de um prédio alugado, sem banheiros e ar-condicionado, para um imóvel do município com melhor estrutura. No entanto, com a alta demanda de pessoas com sintomas nos últimos dias, a Prefeitura viu a necessidade de buscar outro local.

O novo Centro Covid de Taquara ficará na Avenida Sebastião Amoretti, número 2200, no bairro Petrópolis. Para a Prefeita Sirlei Silveira, a boa ação do empresário veio como presente para o município, pois não haverá custos de locação e oferecerá maior conforto à população. “O espaço é amplo, bem ventilado. Esta cedência acalenta o coração, pois beneficiará nossos moradores em um momento de necessidade”, destacou.

O prédio terá 105 assentos para aguardar atendimento, com espaçamento de um metro e meio entre cada cadeira. Na terça (2) e quarta-feira (3), foi realizada uma faxina em toda a estrutura. Na próxima semana, serão feitas as adequações físicas, elétricas e de água, com instalação dos consultórios.

 

Centro Covid e Síndromes Gripais

Além do Centro Covid, o novo endereço também atenderá síndromes gripal e respiratória aguda grave, que costumam ser mais presentes durante o inverno, principalmente em crianças e idosos. A estrutura para o serviço terá três consultórios médicos, três salas de observação, sala de Enfermagem, sala de Triagem, banheiros masculino, feminino e exclusivo para equipe de profissionais, além de recepção.

A secretária de Saúde de Taquara, Ana Maria Rodrigues, ressalta que o aumento de casos ativos e o recorde de pacientes atendidos nos últimos dias fez necessária esta estratégia de ter um espaço mais amplo, com distanciamento e que permita um atendimento humanizado aos taquarenses.

Entre as ações realizadas recentemente, está a ampliação de equipe médica e de enfermagem para dar conta desse volume de atendimentos. “Vivemos o pior momento da pandemia, com esgotamento do sistema público de saúde, principalmente de leitos clínicos e UTIs na rede hospitalar”, reforçou.

A secretária enfatiza a importância das parcerias e do envolvimento da comunidade em apoiar ações e agradece a oferta deste comodato, pois permitirá um espaço de saúde com mais qualidade e no inverno podendo atender as síndromes gripais.

 

Aumento de atendimentos e mortes

Na quarta-feira (3), 262 pessoas buscaram o Centro Covid em razão de sintomas compatíveis ao novo coronavírus. Foi o maior número desde o início da pandemia.

Além disso, o aumento do número de mortes também impressiona. A cidade já soma 84 óbitos por conta da Covid. Somente nesta semana, do dia 1º ao dia 5 de março, foram 19 vidas perdidas conforme números da Secretaria Municipal de Saúde; 50% dos óbitos registrados nas últimas 24 horas têm menos de 60 anos.

Segunda-feira (1º)
Óbito 66 - Feminino, 54 anos
Óbito 67 - Feminino, 62 anos
Óbito 68 - Feminino, 56 anos
Óbito 69 - Masculino, 73 anos

Terça-feira (2)
Óbito 70 - Masculino, 52 anos

Quarta-feira (3)
Óbito 71 - Masculino - 83 anos 

Quinta-feira (4)
Óbito 72 - Feminino, 74 anos
Óbito 73 - Masculino, 68 anos
Óbito 74 - Masculino, 75 anos
Óbito 75 - Feminino, 48 anos
Óbito 76 - Feminino, 62 anos
Óbito 77 - Masculino, 35 anos
Óbito 78 - Masculino, 71 anos

Sexta-feira (5)
Óbito 79 - Masculino, 36 anos
Óbito 80 - Feminino, 59 anos
Óbito 81 - Masculino, 71 anos
Óbito 82 - Masculino, 42 anos
Óbito 83 - Feminino, 62 anos
Óbito 84 - Masculino, 63 anos

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.