Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Pirâmide Financeira

Preso em nova operação contra a Indeal ganhou dinheiro para vazar dados da investigação

Bacharel em Direito responderá por violação de sigilo funcional, crime específico de servidor público

Por Eduardo Torres
Última atualização: 03.12.2019 às 10:13

Fachada do escritório da Indeal em prédio na David Canabarro Foto: Inézio Machado/GES
A única prisão da segunda fase da operação da Polícia Federal contra a Indeal, na manhã desta terça-feira (3), aconteceu em Cachoeirinha, onde os agentes cumpriram também um dos três mandados de busca e apreensão. Até o momento, a Polícia não revela maiores detalhes sobre o suspeito. Sabe-se apenas que é um bacharel em Direito.

A investigação que deflagrou a Operação Escavação apura o crime de violação de sigilo funcional. É um crime específico da função de servidor público, previsto no Código Penal, quando o suspeito aproveita do cargo que ocupa para revelar, ou facilitar o acesso, a dados que devem permanecer em segredo.

Conforme a PF, o investigado nesta etapa seria ligado aos sócios da empresa e estaria tentando obter informações antecipadas sobre eventuais medidas contra os envolvidos na Operação Egypto, desencadeada em maio.

A PF revela ainda que o homem teria recebido valores substanciais para vazar informações aos envolvidos na Indeal. O caso envolve ainda o crime de formação de quadrilha.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.