Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Gramado VISITA POLÊMICA

Confirmação de Dias Toffoli em Gramado gera reações e há grupo contrário à visita

Ministro do Supremo Tribunal Federal estará na cidade em julho, na 26ª Jornada de Direito; hotel já pediu para retirar nome da lista de apoiadores

Por Mônica Pereira, Nicoli Saft
Publicado em: 02.06.2022 às 12:34 Última atualização: 02.06.2022 às 13:32

Depois das mobilizações que levaram ao cancelamento da visita que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, faria a Bento Gonçalves na semana passada, agora é um grupo de moradores de Gramado que gera polêmica nas redes sociais ao levantar posição contrária à participação do ministro Dias Toffoli em um evento da área jurídica na cidade. Até o momento, a palestra de Toffoli na 26ª Jornada de Direito está confirmada. O encontro, que é tradicional no calendário gramadense, ocorre no Palácio dos Festivais nos dias 8 e 9 de julho.

Dias Toffoli
Dias Toffoli Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Internautas que se identificam como moradores de Gramado se dizem contrários à visita do ministro do STF, o que chama atenção justamente por ser uma cidade que tem no turismo sua principal atividade econômica. Há opiniões contra e a favor. “Não pode deixar vir, se vier vai levar ovo na cara”, diz uma internauta. “A que ponto chegamos? Querem proibir um ministro da Justiça de exercer o direito de ir e vir”, rebate outro internauta.

Integrante do grupo Mulheres de Direita, a empresária Telma Renner afirma que o convite a Toffoli para palestrar em Gramado “é uma agressão ao povo brasileiro”. “Pensava em falar em 'extrema insensibilidade' dos organizadores desse evento, mas decidi que seria melhor dizer de uma vez o que realmente é: pois esse convite é um tapa na cara de todos os brasileiros que impotentemente clamam por um Estado de Direito que hoje não existe mais nesse nosso Brasil”, argumenta.

“Nosso protesto veemente a esse evento é nossa batalha pela moralização desta instituição (STF). Queremos uma Suprema Corte com letras maiúsculas, onde seus integrantes respeitem a Constituição e os limites institucionais estabelecidos por lei. Prepotência e ativismo político não cabem numa Corte Suprema que se preze, nem muito menos numa democracia. Há poucos dias Bento Gonçalves deu um exemplo de cidadania. E Gramado vai se curvar?” questiona.

Hotel vira alvo nas redes e pede para retirar nome da lista de apoiadores

O Hotel Serra Azul, que sempre foi apoiador e já sediou edições da Jornada de Direito, confirma que pediu para que a organização retirasse o nome da empresa do material de divulgação. Conforme o sócio e diretor comercial Carlos Eduardo Perini, o hotel vem recebendo ataques nas redes sociais. “Começaram a falar que um hotel do nosso padrão não pode compactuar com esse tipo de gente. O problema é a pessoa. Começou uma brincadeira que iriam ovacionar (jogar ovo) ele na frente do hotel, sendo que ele nem estaria aqui. Ter a vinculação do nome acaba acontecendo isso", diz o diretor, em relação ao ministro.

Segundo Perini, há comentários que ao invés de ovos seriam jogados rojões no hotel. "A nossa questão é a integridade. Não só moral, a história que nós temos com o público, comemorando 50 anos de empresa. Então, o problema todo foi a nossa imagem perante a sociedade, pelos clientes, redes sociais. Fiz questão de dizer que nós não compactuamos como apoiadores do evento e não queremos mais nosso nome como apoiador porque não compactuamos com a presença desse cidadão em função disso tudo”, aponta. “Eu sei que a pessoa é polêmica, mas não sabia que era tanto”, completa.

Organização ressalta o acolhimento gramadense

Conforme a coordenação científica e de organização do evento, a palestra do ministro Dias Toffoli está confirmada. Os organizadores salientam que a Jornada de Direito sempre teve a presença de magistrados, desde juízes de primeiro a grau até ministros de tribunais superiores como o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e STF e reforçam que a segurança dos ministros e ministras é responsabilidade do próprio STF. Não haveria, até o momento, informação sobre o esquema de segurança para a participação de Toffoli no evento.

“Acreditamos na cordialidade e espírito democrático do povo gaúcho e, no caso de Gramado, temos certeza de que a cidade e seus habitantes não fariam nada que fosse antidemocrático ou que sujasse o nome da cidade com algum ato contra violento qualquer pessoa, autoridade pública ou cidadão comum”, frisa a organização.

Sobre o pedido para que o nome do hotel seja desvinculado ao evento, a organização diz que não é um problema. “A polarização passará e o que ficará será Gramado sendo um exemplo de cidade acolhedora, respeitosa, democrática e cordial que orgulha o Brasil e atrai milhões de turistas de todas as idades, classes sociais, raças e origens. Há mais de 25 anos fazemos o evento em Gramado porque como todos os brasileiros nós também amamos Gramado”, finaliza.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.