Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Gramado Esporte

Michele Cardoso é a representante de Gramado em torneio nacional de futebol

A jovem atleta, moradora da Viação Férrea, vai disputar a etapa Brasil na categoria Sub-16

Por Mônica Pereira
Última atualização: 08.11.2019 às 10:35

Michele Cardoso, de 15 anos, é moradora da Viação Férrea e a única representante de Gramado a participar da competição Foto: Mônica Pereira/Especial
"É meu sonho ser jogadora". E é esse pensamento que motiva, todos os dias, Michele Cardoso, de 15 anos, a se tornar uma atleta profissional. Desde os 6 anos, a zagueira, que atualmente joga no Gramadense, se encantou pelo mundo do futebol, tomando gosto pelo esporte ao ver os irmãos mais velhos jogar.

Agora, ela dá mais um importante passo para a realização de seu sonho. Michele foi convidada para jogar pelo Criciúma, de Santa Catarina, na etapa Brasil do Torneio de Desenvolvimento de Futebol 2019, que faz parte das competições da Conmebol e é organizado pela CBF. Caso o time saia campeão, garante uma vaga na etapa Sul-Americana. De 11 a 17 de novembro, o torneio vai reunir, além da categoria Sub-16, em que Michele vai jogar, as categorias de base Sub-13 masculino e Sub-14 feminino.

Michele é a representante gramadense na competição. Apesar da pouca idade, ela já participou de vários outros campeonatos com o Gauchão Sub-15 e o próprio Torneio de Desenvolvimento, onde, pelo Vitória da Bahia, ficou em quarto lugar. "Eu já tenho um pouco de experiência, mas sempre dá aquele friozinho na barriga", revela a zagueira que também já foi destaque em diversas competições regionais.

Durante os dias de campeonato, Michele fica com as outras atletas do time e tem custeado pelo clube a alimentação e hospedagem. Porém, o deslocamento até Porto Alegre é pego pela própria família. De lá, haverá um transporte gratuito até Criciúma.

Michele ainda diz que sempre jogou entre os meninos e nunca se importou, mas sofreu preconceito por ser a única menina dos times e reconhece que o futebol feminino não é valorizado como deveria. "A gente merece os mesmos direitos que os homens", completa. Uma de suas inspirações é a zagueira Mônica, que jogou pela Seleção Brasileira, na Copa do Mundo de 2019.

Michele mora no lotemaneto Viação Férrea, estuda no Colégio Santos Dumont e divide seu tempo entre os treinos, que acontecem todas as terças-feiras e sábados. Mas, mesmo participando do campeonato, promete não descuidar dos estudos. Ela combinou com os professores que vai fazer os trabalhos atrasados e recuperar as aulas que faltar. Uma das preocupações da menina e sua família é que ela siga estudando.

Apoio familiar

A jovem atleta conta que o apoio que recebe da família é fundamental e é o que a faz ter forças para não desistir. Além da torcida, os irmãos a ajudam comprando chuteiras e o material que ela precisa para os treinos, já que Michele não tem nenhum patrocínio e nunca recebeu para jogar. "Minha mãe está sempre do meu lado para me apoiar e para falar que eu jogo bem. Eu quero virar profissional para ajudar a minha família também, porque eles sempre dão o melhor deles por mim", destaca.

Apesar de todos os obstáculos, Michele não desiste e conta que as meninas mais novas que jogam no Gramadense já se inspiram nela. "Fico muito feliz, quero que elas acreditem nos sonhos delas, que não desistam e eu tento passar uma mensagem boa", diz com um sorriso no rosto. Com o novo desafio que vem pela frente, Michele está focada nos treinos e espera trazer o título para a cidade.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.