Notícias | Eleições 2020 Pleito 2020

O feriadão confirmou: mobilidade urbana é uma pauta urgente em Gramado e Canela

Candidatos a prefeito falam de suas principais propostas para melhorar as condições viárias das duas cidades; segundo especialista, seguir planejamento é essencial

Por Letícia de Lima
Publicado em: 16.10.2020 às 03:00 Última atualização: 17.10.2020 às 14:28

Congestionamento na Avenida Borges de Medeiros, no último feriadão Foto: Laura Gallas/ GES-Especial
Todo período de alta temporada turística na Região das Hortênsias é o mesmo cenário nas principais ruas e avenidas de Gramado e Canela: os acessos aos municípios ficam praticamente intransitáveis e moradores e visitantes precisam ter paciência para chegar aos destinos que, apesar de próximos, se tornam demorados devido aos congestionamentos.

Os congestionamentos formados no último feriadão de Nossa Senhora Aparecida confirmou que esta é uma pauta necessária e urgente para os próximos gestores públicos. Por isso, seguindo a série de matérias com os prefeituráveis, a reportagem questionou os candidatos sobre suas principais propostas para a mobilidade urbana. As respostas você confere na página ao lado.

O professor da Universidade Feevale e engenheiro civil, Glauber Candia Silveira, enfatiza que com Plano de Mobilidade Urbana aprovado, cabe ao próximo prefeito dar andamento ao que foi planejado. "Se elaborado de acordo com a realidade urbana e àquela que se deseja como 'ideal' do ponto de vista técnico e de mobilidade, este é o instrumento adequado e que se deve seguir para as melhorias necessárias. Ou seja, o gestor público deveria se comprometer com a implementação das ações e estruturação física propostas pelo Plano", pontua o especialista.

O profissional explica que em áreas centrais e locais turísticos, o pedestre deve ter preferência. "É necessário atentar para calçadas seguras e com acessibilidade, sendo usual reunir-se 'zonas 30' (para limite de velocidade)", atesta. Silveira completa que as questões relativas à capacidade das vias que interligam estas áreas, de maneira segura e com conforto aos usuários, também são importantes e, muitas vezes, requerem obras de melhoramentos. "Daí as razões dos estudos e propostas que constam nos planos de mobilidade, quando tudo isto é ponderado e definido", finaliza.

Gramado

Beto Tomasini Foto: Divulgação
Beto Tomasini (PSDB)

"Estamos no encontro de duas rodovias e, com isso, o congestionamento é inevitável. Temos três pontos-chave onde as pessoas chegam e passam a procurar estacionamento. 1) na chegada a Gramado pelo Torre Café vindo de Canela; 2) quando chegam na Praça das Bandeiras vindo da Várzea Grande; e 3) na chegada para quem vem de Nova Petrópolis próximo ao antigo Posto Bezzi. Com isso, 60% dos carros que entram em Gramado estão procurando estacionamento. Temos que resolver o problema do trânsito em Gramado com estacionamento, e nós planejamos a criação de dois bolsões de estacionamento investidos pela iniciativa privada. O sistema de venda teria que ser público, com valor diário para turistas e mensal para quem é de Gramado. Desta forma, as escolas CNEC e Santos Dumont teriam acesso pelo fundo e tiraríamos o estacionamento da frente das escolas. Esse é um projeto prioritário para a mobilidade."

Elias Vidas Foto: Arquivo GES
Elias Vidas (PTC) 

"O primeiro obstáculo da mobilidade urbana, é a questão financeira. Ultrapassando isso, a primeira coisa que tem que ser tratada com o povo é essa questão de um terminal de ônibus. Fazer um estudo para ver o que Gramado ganha e perde com os ônibus circulando dentro da cidade. No meu ver, Gramado não tem mais espaço, então tem que ser debatido isso com uma Secretaria de Trânsito e um prefeito que tenha coragem. Desatravancar o Centro da cidade com carros, ônibus, que atrapalham o andar da cidade. Tem que ser feito um estudo sério, ver rodízio de horários desses ônibus se não tiver como fazer terminal. Pessoas já foram atropeladas, tenho memória. A segunda coisa que quero ver, é tirar do papel a descentralização de Gramado. De preferência tirar o hospital de onde está hoje e ver a possibilidade de colocar o hospital num lugar que é perto de todos e com acesso a todos os lugares."

Evandro Moschem Foto: Divulgação
Evandro Moschem (MDB)

“As melhorias na mobilidade urbana iniciam com a execução do Plano de Mobilidade. No enfrentamento do ordenamento urbano, precisamos revisar o Plano Diretor Estratégico, mediante a adequação dos zoneamentos às necessidades econômicas e sociais de cada região de Gramado. Nossas principais propostas são: construção das obras estratégicas, implantação de novo modal viário e organização do fluxo de veículos no Centro e principais bairros, qualificar o transporte coletivo, implantar bolsões de estacionamento e estimular o uso de bicicletas. Também como alternativa para melhorar a mobilidade urbana precisamos descentralizar algumas atividades comerciais e prestações de serviços para os bairros, evitando o deslocamento dos munícipes para o Centro. E isso pode ser construído a partir da implantação do Plano de Habitação Social com bairros planejados para absorver essa descentralização.”

Nestor Tissot Foto: Divulgação
Nestor Tissot (Progressistas) 

“Durante os governos Progressistas, principalmente nas gestões Nestor e Luia, Gramado recebeu vários projetos viários, incluindo o maior deles, a perimetral que liga os bairros Três Pinheiros e Casagrande. A partir de 2021 queremos dar segmento a grandes obras viárias com a continuação dos projetos adormecidos dos eixos dos quadrantes do anel viário de Gramado, interligação da rótula do bairro dos Três Pinheiros pelo Vale do Quilombo direcionando todo o trânsito para quem vai aos municípios vizinhos sem ter que passar pelo Centro. E, também a interligação do quadrante do Alphaville com o bairro Piratini. Vamos implementar e aperfeiçoar as ciclovias e fomentar a instalação de novos ciclos. Para desafogar as principais ruas do Centro é indiscutível a remoção da Prefeitura, agências bancárias e escolas, além da criação de dois terminais turísticos, sendo um na Várzea Grande e outro na RS-235, entre Gramado e Nova Petrópolis.”

Canela

Constantino Orsolin Foto: Divulgação
Constantino Orsolin (MDB)

“A mobilidade urbana é fundamental para o desenvolvimento de uma cidade e de um destino turístico. Por isso, estamos colocando em prática algumas ações. A conclusão da Rota Panorâmica qualificará a mobilidade da região, funcionando como um novo e importante caminho ligando o Vale do Paranhana, Vale dos Sinos e Região Metropolitana. Como instrumento de planejamento e implementação de práticas para a mobilidade, o governo elaborou e a Câmara aprovou o Plano de Mobilidade Urbana que prevê alterações de fluxo e redefinições de estratégias no trânsito, com objetivo de desafogar o fluxo intenso na região central da cidade. Como exemplo, cito a construção de uma alça de acesso e ampliação dos atuais ramais para desvio do trânsito pesado. Seguimos trabalhando para conquistar o Aeroporto das Hortênsias, que já recebeu autorização para instalação e concessão do serviço."

Tolão Foto: Tolão
Tolão (PDT) 

“Os problemas que assolam a mobilidade em Canela, apenas evidenciam a falta absoluta de planejamento urbano, pois quando não planejamos, as demandas acabam por atropelar processos de decisão. Temos as ruas de 1970, com o número de carros multiplicados várias vezes e isso está levando a uma insolvência da malha viária. Pois bem, é imperioso pôr em funcionamento o Plano de Mobilidade Urbana para que alguns gargalos possam ser corrigidos e trazer de
imediato uma maior fluidez. Além disso, é preciso pensar regionalmente e procurar Gramado para construir soluções conjuntas, pois notamos a RS-235 saturada, sendo que os perímetros urbanos, devido à expansão, se encontraram, exigindo soluções alternativas. Precisamos definir, imediatamente, o novo perímetro urbano e as possíveis perimetrais que o contornam. Ou pensamos tecnicamente essa questão, ou a Serra deixará de ser atraente.”

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.