Acompanhe:
Informe Publicitário Educa Mais Brasil

5,4 mil vagas de cursos profissionalizantes serão destinadas a mulheres com baixa renda

Capacitação é parceria entre Institutos Federais de Educação Profissional e o MEC

Última atualização: 10.03.2020 às 17:06

Cerca de 5,4 mil vagas em cursos de formação profissional serão disponibilizadas para mulheres em situação de vulnerabilidade social Foto: Educa Mais Brasil
Mulheres em situação de vulnerabilidade social receberão cursos de formação profissional por meio dos Institutos Federais vinculados ao Ministério da Educação (MEC). Serão cerca de 5,4 mil vagas destinadas a quatro estados brasileiros de três regiões do País: Amapá e Rondônia (Norte), Maranhão (Nordeste) e Minas Gerais (Sudeste). A expectativa do MEC é expandir os cursos para outras regiões.

As capacitações serão dadas nos próprios instituto, se adaptando às necessidades educacionais e econômicas de cada região. A previsão de início dos cursos é ainda neste mês de março, finalizando até a primeira quinzena de maio.

No Instituto Federal do Amapá (IFAP), serão 520 vagas para mulheres ribeirinhas, negras, quilombolas e indígenas. A instituição também planeja, a médio prazo, promover cursos de microempreendedora individual, operadora de resíduos sólidos, promotora de vendas e operadora de máquinas e resíduos agrícolas.

O Instituto Federal de Rondônia (IFRO) oferece 600 vagas para os cursos de cuidadora infantil, de idosos, padeira, esteticista facial, maquiadora e operadora de processamento de pescado. Já o Instituto Federal do Sul de Minas disponibiliza 1.800 vagas para cursos de copeira, costureira, cuidadora de idosos, depiladora, garçonete e informática. No Maranhão, o IFMA tem 2.490 vagas para cursos de auxiliar administrativo, operadora de pescado, balconista de farmácia, dentre outras opções.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.