Publicidade
Acompanhe:

A expectativa dos ídolos Danrlei e Fabiano para o Gre-Nal 422

Antigos rivais projetam o último clássico da temporada pelo Campeonato Brasileiro Reportagem: Gustavo Henemann

Considerada uma das maiores rivalidades do futebol sul-americano e mundial, Grêmio e Inter fazem neste domingo (3), a partir das 18 horas, na Arena, o último clássico da temporada. Em momentos semelhantes no Brasileirão, os dois times terão um confronto direto em busca da classificação à Libertadores de 2020. O Tricolor, de Renato Portaluppi, vem de uma eliminação dolorida na copa continental após levar 5 a 0 do Flamengo, mas reagiu ao vencer Botafogo e Vasco nas últimas duas rodadas do campeonato nacional. Já o Inter, que há cerca de 40 dias perdeu o título da Copa do Brasil para o Athletico-PR, está sob comando do recém-contratado Zé Ricardo, que vem de triunfo sobre o Bahia e empate com o Furacão no Brasileiro.

Danrlei e Fabiano projetam clássico 422, na Arena Foto: Arquivo/GES

Em 2019, o Grêmio não perdeu nenhum jogo para o maior rival e, inclusive, conquistou o título do Gauchão. Em quatro jogos, uma vitória gremista e três empates. Porém ao longo dos 110 anos de história do Gre-Nal, o Inter leva vantagem, foram 421 confrontos, 156 vitórias rubras, 131 triunfos tricolores e 134 empates.

E por falar no histórico do clássico, muitos jogadores se tornaram ídolos da dupla e foram peças importantes para manter viva a paixão dos torcedores, que nos dias de jogos dividem o Estado. O ex-goleiro gremista Danrlei e o ex-atacante colorado Fabiano foram dois personagens especiais na década de 90 e início dos anos 2000. Em entrevistas exclusivas, eles comentam sobre o clássico 422 deste fim de semana, lançam suas apostas e recordam sobre a rivalidade da época.

"Homem Gre-Nal" fez festa na casa alheia

O ex-atacante colorado teve grande destaque em uma década na qual Inter não viveu seus melhores momentos na história. Porém, Fabiano se tornou ídolo, tendo recebido o título de "homem Gre-Nal", especialmente pelas atuações no Olímpico, e era chamado e "Uh, Fabiano!". "Tive muitas experiências, fui bastante vitorioso. No momento, o Grêmio é favorito, mas jogando dentro da Arena, o Inter também pode surpreender. E quem não quer fazer história na casa do rival. Participei dos 5 a 2 e no clássico os atletas querem fazer a diferença", afirmou Fabiano, que recordou da rivalidade com o amigo Danrlei. "Ele é meu filho. Gente boa demais, mas sabe que é meu filho. Foram várias brigas dentro de campo, mas sempre foi tranquilo, foi dentro de campo, por isso hoje somos amigos, nos respeitamos. Ele tem uma história fantástica, eu tenho minha história dentro do Inter. Ele estava no 5 a 2, levou o gol, e diz ele que sentiu uma fisgada, mas eu sempre digo que não sei não. Ele sabia que vinha chumbo e largou cedo", disse aos risos Fabiano.

Clássico da afirmação e da dúvida na meta

Para o ex-goleiro, o dérbi deste domingo será para conferir o que cada equipe pode apresentar na reta final do Brasileiro. "Imagino que seja um dos jogos mais importantes para os dois clubes. Pode significar a afirmação. Esse jogo vai clarear um pouco mais sobre a realidade de cada time", apontou Danrlei, que tem a mesma opinião de Portaluppi sobre a presença do Tricolor na Libertadores 2020. "O Grêmio está na Libertadores sim. Pelo time que tem, acredito que sim. Os outros clubes não estão no mesmo patamar", reforçou.

Especialista na função, Danrlei avalia que Paulo Victor está inseguro na meta tricolor, mas não crê na saída do goleiro para entrada de outro. "Quem pode ver definitivamente o momento do Paulo Victor é o Renato. Vendo de fora, acho que ele está um pouco inseguro. Não sei como está treinando o Phelipe Megiolaro ou os outros goleiros do Grêmio. É difícil. Sou da base, tive minha oportunidade com 19 anos. Não vejo o problema em dar chance para um menino de 19 anos. Acho que se tirar (o Paulo Victor) agora pode queimar, eu não tiraria por uma questão de respeito ao atleta", ressaltou.

Perdas recentes fortalecem para chegar ao G4

Nos últimos dois anos, após o retorno da Série B, o Inter vem se reconstruindo e tendo bons resultados, mas na atual temporada não sabe ainda o que é vencer o Tricolor. No Gauchão, o Colorado perdeu o título nos pênaltis, na Arena. E a casa gremista não traz recordações positivas, até mesmo pela mais recente goleada por 5 a 0, em 2015, também numa transição de treinadores. Porém, o ídolo Fabiano trata de remontar às boas lembranças na casa adversária para fortalecer a expectativa em um bom resultado.

"O clássico é especial. Falando como torcedor que sou hoje, o Inter vem da eliminação na Libertadores e da derrota na Copa do Brasil. O torcedor ficou chateado, houve trocas de treinadores e, com certeza, quando se perde títulos isso acontece. O Inter precisa chegar no G4, classificar para a Libertadores. Essas perdas recentes vamos levar para o Gre-Nal e buscar esses três pontos que serão importante", destacou Fabiano. "O Inter vai para ganhar, mas tem que tomar cuidado com o contra-ataque, o Grêmio já tem um padrão de jogo há alguns anos, e o Zé Ricardo está buscando o seu ideal", observou o ex-atacante.

Danrlei é o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do Grêmio na história

Ex-goleiro tricolor só perde em número de partidas para Tarciso Flecha Negra (721) e Airton Pavilhão (592).

Personalidade forte e cinco títulos estaduais

Danrlei sempre foi um protagonista no Tricolor, além dos 594 jogos pelo clube, conquistou 19 títulos. E nos clássicos Gre-Nais, sua personalidade forte incomodava muito os adversários, incluindo Fabiano, com quem teve suas rixas, mas fora das quatro linhas se tornaram bons amigos. "Os Gre-Nais eram difíceis, mas foi uma década em que o Grêmio estava melhor. Lembro que no tempo contra o Fabiano, nos dez anos que joguei, ganhei cinco campeonatos (1993/95/96/99/2001)", destacou. Para o ídolo gremista, o Gre-Nal é diferente de qualquer outro jogo. "Todos os Gre-Nais têm sua particularidade, um gostinho diferente. Para mim que sou gaúcho (de Crissiumal), que torci para o Grêmio desde criança, entendo esse sentimento e sei como é o dia posterior para quem perde, a corneta que é. Sempre passei isso para os atletas que vinham de fora e da importância que tem o clássico. A meu ver é o maior que existe nas Américas e um dos maiores clássicos do mundo, e nós tratávamos ele exatamente da forma que merecia", completou.

É número de vezes que Fabiano defendeu o Inter entre os anos de 1996 e 2002

O ex-atacante é lembrado muito pela parceria com Christian, pelo título gaúcho de 1997 e pelo famoso clássico dos 5 a 2.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Publicidade
Matérias especiais
Educa Mais Brasil

Começa o período para estudantes justificarem ausência nas provas do Enade 2019

Informe Publicitário
Esportes
premium

Irmãos treinadores se destacam no cenário brasileiro do futebol feminino e masculino

Esportes
Turismo
premium

Parque das Laranjeiras é opção de destino para curtir bem perto

Turismo
Aonde ir

Show da Família Lima, Feira Pólen, Natal dos Anjos e outras atrações neste final de semana

Região