Publicidade
Cotidiano | Entretenimento Bate-papo

Cíntia Dicker, uma top entre Nova York e Campo Bom

Modelo de Campo Bom famosa pelo mundo inteiro fala sobre o cotidiano na pandemia e as saudades da região

Por Bruna Matana
Última atualização: 23.05.2020 às 09:00

Cíntia Dicker Foto: Reprodução/ Instagram
Aos 33 anos, a modelo internacional e atriz Cíntia Dicker esbanja beleza e talento. Natural de Campo Bom, a ruiva de 1,79 metro e olhos azuis, além do trabalho reconhecido mundo afora nas passarelas e nas revistas de moda, ficou conhecida do público também na televisão, ao viver a personagem Milita, na versão de 2014 da novela “Meu Pedacinho de Chão”.

A estreia de Cíntia na telinha, no entanto, ocorreu em 2005, em “Belíssima”. Ela também teve passagem em “Totalmente Demais” (2016) e “Pega Pega” (2017). Em bate-papo com o ABC+, ela falou sobre a saudade da região e como enfrenta a pandemia.

Entrevista

Você ainda tem contato com Campo Bom? Sua família ainda está na região?
Cíntia - Claro. Sempre que tenho um tempo livre eu corro pra Campo Bom pra visitar minha família.

Tem conseguido viajar nesta época de quarentena? Como está enfrentando o isolamento?
Cíntia - Fiquei no Brasil sem viajar. Mas agora vou voltar pra Nova York porque voltou a ter trabalho de novo. Mas claro que tomando todos os cuidados. Usando máscara e luva.

Quais lembranças você tem de Campo Bom, quais lugares da região você lembra?
Cíntia - Tenho muita lembrança do Colégio 25 de julho. Minha avó mora perto da escola, então eu passava o dia todo no bairro enquanto minha mãe trabalhava. Estudava à tarde e depois ficava brincando com meus amigos de escola na rua.

Como lida com a exposição? Isso chega a incomodar?
Cíntia - Incomodar não, sempre fui mais na minha. Fiz meu trabalho e claro que ser reconhecida por ser uma boa modelo me deixa muito feliz.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.