VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Motores

Mustang: o mito está entre nós

Espera recompensada: esportivo chega ao País 54 anos após seu lançamento na versão GT Premium com o Performance Pack por R$ 299 mil. Confira o teste em Interlagos.

Divulgação
Carro foi apresentado em Interlagos no último dia 4 de abril

São Paulo - Demorou 54 anos, mas o Mustang finalmente chega às ruas brasileiras pelas mãos da Ford, devidamente tropicalizado para a nossa gasolina e ruas. Para compensar a espera, a sexta geração desembarca com motor V8 de 466 cv, câmbio automático de 10 marchas e um pacote tecnológico de respeito. Por isso, é classificado pela montadora como o “melhor Mustang de todos os tempos”. O icônico esportivo vem em versão única, a GT Premium já com o Performance Pack, por R$ 299 mil. Nos Estados Unidos, essa configuração custa US$ 54 mil.


Lançado em 1964, o eterno rival do Chevrolet Camaro atualmente é produzido na planta de Michigan, a única no mundo a fabricá-lo. No cinema, o carro estrelou mais de 3 mil filmes e séries. Por meio de importadores independentes, centenas de unidades foram trazidas e hoje 1.600 veículos ainda estão registrados. Na pré-venda, iniciada no final do ano passado, 275 carros já foram comercializados, 30% dos quais na cor vermelha, 20% preta e 15% branca.


Durante o test-drive pelas ruas da capital paulista, mostrou que pode ser dócil no dia a dia. Basta não ser provocado. No modo Normal, a suspensão MagneRide trabalha de forma mais macia. Mas foi na pista de Interlagos que colocou as garras de fora. Não é sempre que se pode dirigir um carro icônico em uma pista igualmente icônica, por onde passaram gerações de pilotos geniais, como Senna, Piquet e outros tantos. No Modo Drag, o motor, câmbio e suspensão trabalham para o máximo desempenho. O controle de tração é desligado e o de estabilidade torna-se mais “permissivo” para que o motorista tenha mais trabalho para domar esse puro-sangue. Assim, é possível sentir as escorregas controladas em tocadas mais agressivas, potencializadas pela tração traseira.

Adair Santos/GES-Especial
Enfileirados na reta dos boxes, vários exemplares para os jornalistas testarem

A cada acelerada, uma ''patada''


Cada acelerada forte resulta em uma patada – o corpo é jogado com força contra o banco. A prova de 0 a 100 km/h é cumprida em 4,3 s, conforme a montadora, e a máxima é limitada eletronicamente a 250 km/h.

Impressiona a aderência nas curvas, muito diferente de quando foi lançado. A distribuição de peso é de 55% na dianteira e 45% na traseira, contribuindo para o equilíbrio. Na época, motor potente era mais importante que uma estabilidade de carro de corrida. Assim, os muscle cars eram melhores nas retas do que nas curvas.


Para conter um pouco o ímpeto dos jornalistas, foram montados cones para obrigar a realização de manobras de slalon e diminuir a velocidade. Mas mesmo com um circuito travado foi possível extrair a maior parte da esportividade que o carro oferece. Na reta dos boxes, entretanto, a máxima não passou dos 180 km/h. Com circuito liberado, pilotos da montadora passaram ‘‘rasgando’’ a 240 km/h nesse mesmo trecho.



Design

Adair Santos/GES-Especial
Lanternas com três filetes, a marca registrada do esportivo


O visual consiste em uma evolução das linhas que tornaram o modelo mundialmente conhecido. As dimensões cresceram, mas as proporções seguem as mesmas: a carroceria é larga, baixa e tem a frente comprida e imponente. A diferença é que reúne as mais recentes tecnologias disponíveis na indústria, como faróis Full LED. As tradicionais lanternas com três barras também são em LED. O coeficiente aerodinâmico é de 0,35 (cx).

Freios Brembo

Adair Santos/GES-Especial
Desenho dos pneus valoriza o contato com o asfalto

Os freios esportivos com seis pistões Brembo na dianteira dão conta do alto desempenho do carro, pois usam discos esportivos ventilados de 15’’, com seis pistões de 36 mm e pinça em alumínio, e discos ventilados traseiros de 13’’, com um pistão de 45 mm e pinça de aço. A 100 km/h, são necessários 37,7 m até a imobilidade. As rodas dianteiras utilizam pneus 255/40 e, as traseiras, 275/40. O Michelin Pilot Sport 4S tem tecnologia “Dynamic Response” e design otimizado para maximizar a área de contato com o solo e gerar respostas rápidas.

Pacote de Performance


Pacote de performance é de série, trazendo aerofólio, freios esportivos, radiador com maior capacidade, suspensão MagneRide e diferencial com deslizamento limitado. Para quem gosta de ir para as pistas, o Track Apps registra dados como aceleração, tempo de volta e desempenho de frenagem para avaliar a performance de direção e ajudar a extrair o máximo do carro.

Suspensão adaptativa MagneRide


A suspensão adaptativa MagneRide usa amortecedores com sistema magnético para refinar o desempenho e o conforto de acordo com as condições da pista e da condução. Na traseira, é adotado pela primeira vez o sistema independente Integral Link, que garante melhor capacidade de tração e cambagem controlada.


Os amortecedores usam um fluido viscoso eletromagnético e sensores para ajustar instantaneamente o comportamento da suspensão e oferecer a melhor resposta em cada situação de rodagem. O resultado é maior conforto em retas e um desempenho mais firme em curvas.

Como o próprio nome sugere, seus sensores monitoram as condições da pista 1.000 vezes por segundo e criam um campo magnético que alinha as micropartículas ferrosas suspensas no óleo dos amortecedores. Esse ajuste, feito de forma independente nas quatro rodas, otimiza a aderência em acelerações e frenagens e reduz a rolagem em curvas.


Abençoado seja o som do V8


Basta apertar o botão start/stop para o V8 soltar um urro. Um espetáculo à parte. O escapamento com sistema de válvula ativa permite controlar o seu volume em quatro níveis: Normal, Esportivo, Pista e Silencioso. Usando abafadores e ressonadores, é capaz de suavizar ou reforçar e valorizar as notas do seu som, conforme a seleção escolhida. Para manter o clima amistoso no prédio ou bairro, há o modo “bom vizinho”, que programa o volume conforme a hora do dia e dá partida silenciosamente.


Adair Santos/GES-Especial
Muita potência e um som inconfundível


No Brasil, 6 cv extras devido à presença do álcool na gasolina

O Coyote V8 5.0 de 466 cv está na terceira geração e é produzido no Canadá com bloco em alumínio, pesando 220 kg. Anteriormente, era 4.9 e desenvolvia 441 cv. Ao contrário do Camaro (equipado com um V8 6.2 de 461 cv e 62,9 kgfm, bem como com câmbio automático de 8 marchas), esse propulsor não conta com o sistema que desliga 4 cilindros em situações de viagem, em velocidade de cruzeiro.


Além disso, é 6 cv mais potente em relação ao usado no mercado norte-americano por conta da calibragem necessária à utilização da nossa gasolina, que tem 27,5% de álcool. A potência extra deve-se justamente ao maior rendimento térmico do etanol. Os 466 cv são atingidos a 7.000 rpm, enquanto o torque máximo de 56,73 kgfm chega a 4.625 rpm. Porém, 82% dessa força já está disponível a 2.000 rpm.


A boa notícia é que pode utilizar gasolina comum sem qualquer risco, garante o engenheiro-chefe de Powertrain da Ford América do Sul, Volker Heumann. Os testes nas estradas brasileiras totalizaram 48,5 mil km.

Adair Santos/GES-Especial
Boa notícia é que pode utilizar gasolina comum sem qualquer risco, garante o engenheiro-chefe de Powertrain da Ford América do Sul, Volker Heumann


Sistema de injeção direta e indireta

Entre os refinamentos técnicos do propulsor estão o duplo comando de válvulas variável Ti-VCT e o sistema de alimentação de combustível, que combina injeção direta e indireta. “A injeção direta, feita na câmara de combustão, garante boa atomização em plena carga e potência máxima. Do lado oposto, com carga e velocidade baixa, o motor usa a indireta realizada no coletor de admissão, onde o vácuo pulveriza bem a mistura para reduzir o consumo, ruídos e emissões”, explica o engenheiro Volker Heumann.


Câmbio automático de 10 velocidades

Adair Santos/GES-Especial
Câmbio de 10 marchas é rápido no gatilho


A transmissão automática de 10 velocidades é outro diferencial, garantindo um escalonamento perfeito. Com relação ampla, oferece engates rápidos e precisos, em menos de meio segundo, com melhor aproveitamento de torque, selecionando o ponto mais eficiente de troca para cada rotação e modo de direção escolhido. Os comandos “paddle shifts” no volante permitem fazer as marchas manualmente.


Desenvolvida em cooperação com a concorrente General Motors (GM), a nova transmissão gerou mais de 20 patentes para a Ford. Seus avanços incluem o uso de fluido de ultrabaixa viscosidade para redução de atrito, seis embreagens, um conversor de torque otimizado para redução de peso e uma tecnologia com solenóides integrados no trocador de marcha para mudanças mais rápidas, chamada Cidas (“Casting-Integrated Direct-Acting Solenoid”).

Seis modos de condução


São seis modos de condução para cada tipo de pista: Normal, Esportivo, Pista, Drag (para arrancadas rápidas), Neve/Molhado e MyMode (possibilita gravar sua combinação personalizada, selecionando os ajustes da direção, ruído do escapamento e controle de tração).


Em todos esses modos, são ajustados automaticamente os parâmetros de velocidade das trocas de marcha, resposta do acelerador, ajuste de direção, atuação dos freios ABS, controles de estabilidade e de tração e suspensão adaptativa. Com 1.783 kg, sua relação potência/peso de 0,268 cv/kg. Modelo tem 4,79 m de comprimento, 2,72 m de entre-eixos, 1,92 m de largura e 1,38 m de altura. Banco de trás comporta apenas crianças.

Line Lock: para queimar pneus

Sistema permite executar a técnica conhecida como burnout

O Line Lock faz a alegria de quem gosta de queimar pneus na técnica conhecida como “burnout”. O sistema eletrônico de preaquecimento dos pneus traseiros trava as rodas dianteiras independentemente das traseiras. É tradicionalmente usado em corridas de arrancada para aquecer os pneus e melhorar a tração antes da largada. Usando um software de última geração, ajuda pilotos de corrida amadores a melhorar o seu tempo.


O sistema é ativado por teclas no volante, com a seleção da opção no painel (digital e configurável) de 12’’. Quando acionado, mantém o freio dianteiro pressionado por até 15 s e faz as rodas traseiras girarem sem o carro sair do lugar. O painel exibe uma animação especial quando o sistema está ativado: uma roda girando em uma nuvem de fumaça, ao melhor estilo videogame.

Painel digital

Adair Santos/GES-Especial
A bordo, muita tecnologia e bons materiais de acabamento

Internamente, painel digital e configurável de 12’’, bancos com refrigeração e um acabamento de primeira, como não poderia ser diferente. Materiais emborrachados e alumínio são usados com generosidade. Modelo traz piloto automático adaptativo, alerta de colisão com assistentes autônomo de frenagem e detecção de pedestres, bem como sistema de permanência em faixa com identificação de fadiga.


O conjunto de segurança é composto por oito air bags, assistente de partida em rampa, câmera de ré, farol alto automático sensores de chuva e de estacionamento traseiro, chave MyKey e monitoramento de pressão dos pneus. Central multimídia Sync 3 tem tela de 8’’ e oferece também acesso ao Apple CarPlay, Android Auto e interface AppLink para aplicativos. Áudio Shaker Pro Premium Sound tem 390 W de potência e 12 alto-falantes, incluindo subwoofer de 8’’.


Viagem a convite da Ford

Peugeot 5008: segurança e conforto para sete pessoas

SUV inédito no Brasil desembarca com preço inicial de R$ 154,9 mil para ampliar a gama de SUVs da marca.

São Paulo - Um SUV repleto de tecnologias e segurança que leva a família toda. O Active Safety Brake – capaz de frear automaticamente o carro, evitando acidentes e até atropelamentos – é um dos principais atrativos do 5008, modelo com sete lugares que chega ao País importado da França para ampliar a gama da Peugeot, somando-se ao 2008 e ao 3008. São duas versões: a Griffe, por R$ 157,49 mil, e a Griffe Pack, por R$ 166,49 mil. Mas durante o mês de lançamento, março, os preços serão promocionais: R$ 154,99 mil e R$ 163,99 mil, respectivamente.


A apresentação à imprensa especializada ocorreu no último dia 21, durante test-drive entre a capital paulista e a cidade de Porto Feliz. Ao volante, demonstra a mesma precisão e agilidade de modelos como o 3008, garantidos pelo motor THP de 165 cv. Em relação ao design, quando está ‘‘vindo’’, o 5008 é exatamente igual ao 3008. Mas é ‘‘indo’’ que mostra seu diferencial: a traseira com visual ‘‘quadradão’’. Bem mais que um 3008 com entre-eixos esticado, o modelo tem personalidade. Quanto à segurança, são seis air bags, incluindo um do tipo cortina que tem extensão até a terceira fileira de bancos.

O que impressiona é a tecnologia de bordo e seu perfeito funcionamento, a exemplo do Regulador de Velocidade Adaptativo com Função Stop, que freia e acelera o carro de acordo com as reações do veículo da frente, podendo impedir colisões, e o Sistema Ativo de Vigilância de Ponto Cego e o Alerta de Ultrapassagem Involuntária de Linha, que utiliza uma câmera instalada na parte superior do para-brisas para ‘‘ler’’ faixas da estrada e que, além de alertar o condutor, puxa o volante para corrigir a trajetória. Há também o Active Safety Brake, que freia o carro para evitar colisões e atropelamentos.

Motor THP 1.6 com 165 cv

Divulgação/Divulgação
Peugeot 5008

O motor 1.6 THP funciona apenas com gasolina e desenvolve 165 cv. Os 24,5 kgfm de torque surgem cedo, já em 1.400 rpm. Conforme a montadora, a aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 10,5 s e a máxima é de 206 km/h. Os 65 kg extras do carro em relação ao 3008 o deixam um pouco mais lento, pois o irmão menor cumpre a prova de 0 a 100 km/h em 8,9 s. O câmbio automático de seis marchas é equipado com o novo comando por impulso elétrico e o modo Sport. Há ainda a opção de trocas manuais por Paddle Shift.

Faróis Full LED


O 5008 adota também todos os códigos específicos de um SUV, com sua frente verticalizada, capô longo e horizontal, linha de cintura alta, vastas proteções (parte inferior dos para-choques, caixas de rodas e área inferior das portas), grandes rodas e altura livre do solo ampliada, totalizando 24 cm. Os faróis têm tecnologia Full LED. As rodas são aro 19”, diamantadas com acabamento em dois tons.

Visual

Quando visto de frente, o 5008 é idêntico ao 3008. Mas é na traseira que estão as principais diferenças, pois suas linhas são mais retas, para poder acomodar bem as cabeças dos dois ocupantes extras.


Conforme o diretor de Design da marca, Daniel Nozaki, uma faixa prateada com acentuada queda ajuda a disfarçar esse design mais quadrado, assim como apliques pretos a partir da coluna ‘‘C’’. Sob o vidro traseiro vertical, uma faixa horizontal em preto brilhante integra as lanternas em LED. Elas têm as três “garras” características que constituem a inconfundível assinatura visual da Peugeot. Construído sobre a plataforma EMP2, modelo tem 4,64 m de comprimento, 19 cm a mais que o 3008.

Nova geração do i-Cockpit

O cluster digital de 12,3” é personalizável. O conjunto consiste na mais recente evolução do i-Cockpit e ganhou o sobrenome ‘‘2.0’’.


O volante Sportdrive foi inspirado nas competições e é compacto, com aro e base achatados, que facilitam a pegada, além de um campo de visão desimpedido e mais espaço para as pernas. O cuidado na escolha dos materiais – aro do volante em couro, inserções cromadas, elementos decorativos em preto brilhante – conferem à cabine uma percepção de qualidade.

Outro atrativo são os bancos do motorista e passageiro dianteiro com massageador. O sistema pneumático com oito bolsas de ar proporciona cinco tipos de massagens diferentes

Teto panorâmico

 
O teto solar panorâmico tem abertura automática, feita por meio de um botão na parte superior da cabine. Além disso, o teto vem com uma cortina dotada de revestimento e guias luminosas azuis, intituladas ‘‘Ambient Lights’’ e feitas em LED.


Em um carro deste nível, só faltou a tração integral. ‘‘Não queríamos entrar na faixa de concorrentes SUVs 4x4, pois estamos focados em entregar dinamismo e equipamentos’’, justifica o diretor de Marketing, Antoine Gaston-Breton

Multimídia com tela de 8’’

A grande tela de última geração sensível ao toque de 8’’ dá a impressão de que um tablet foi posicionado no centro do painel de instrumentos, dispondo da tecnologia capacitiva, que torna sua utilização mais prática.


A função de espelhamento do celular permite a reprodução da tela do smartphone no sistema de 8’’ do veículo para uma melhor utilização dos aplicativos. É compatível com Android Auto eApple CarPlayTM (a partir do iPhone 5).


Ao centro do painel, há seis teclas chamadas de toggle switches que proporcionam um acesso direto às principais funções de conforto: rádio, climatização, navegação, parâmetros do veículo, telefone e aplicativos móveis.


Sistemas de segurança

A versão Griffe Pack é equipada com sistemas de ajuda à condução de última geração e múltiplos Adas – Advanced Driver Assistance System. Confira quais são eles:

Regulador de Velocidade Adaptativo com Função Stop - Detecta veículos circulando à frente na mesma direção e adapta automaticamente a velocidade à do veículo que o precede. É uma espécie de ‘‘siga o mestre’’: se o veículo à frente parar, o 5008 também vai parar, e se acelerar novamente, vai acompanhar essa aceleração. A função está disponível entre 30 km/h e 180 km/h.

Active Safety Brake - É equipado com uma câmera na parte superior do para-brisas e um radar no para-choque dianteiro, fazendo com que o SUV seja capaz de frear ou parar totalmente caso detecte uma falta de reação do motorista diante de uma colisão iminente contra um carro dianteiro ou um pedestre. Dependendo do risco de colisão previsto pelo sistema e da configuração feita pelo condutor, vários tipos de alerta podem ser acionados e exibidos no painel de instrumentos. No nível 1, são mostrados alertas apenas visuais, indicando que o veículo à frente está muito próximo. No nível 2, há alertas visuais e sonoros, indicando uma colisão iminente. Ambos podem ser configurados de acordo com três níveis definidos: Perto, Normal e Distante e o status é memorizado quando a ignição é desligada.


Sistema Ativo de Vigilância de Ponto Cego e o Alerta de Ultrapassagem Involuntária de Linha - Com uma câmera na parte superior do para-brisas, reconhece linhas contínuas e descontínuas nas vias e alerta o condutor no caso de ultrapassagem involuntária. O veículo emite um alerta e também corrige a trajetória do carro para mantê-lo na faixa. Além disso, avisa o condutor da presença de outro veículo nas zonas de ponto cego do SUV em velocidade entre 12 km/h e 140 km/h. O alerta é dado por uma luz que se acende no retrovisor do lado correspondente assim que um carro, caminhão ou moto forem detectados. Mais do que isso, o sistema também “segura” o volante, evitando colisão lateral.

Alerta de Tempo de Condução - Emite um alerta se detectar que não houve nenhuma pausa ao volante após duas horas em uma velocidade superior a 65 km/h.

Reconhecimento de placas de velocidade - Sistema as detecta, as lê e exibe no painel de instrumentos. O Limite de Velocidade Recomendado completa a função: o condutor pode optar por adaptar a regulagem da velocidade do veículo em função do limite de velocidade lido pela câmera.


Bancos independentes

Os três bancos independentes existentes na segunda fileira são um grande diferencial. Os assentos individuais proporcionam o mesmo nível de conforto aos três passageiros da segunda fileira. O comprimento é regulável em uma extensão de 15 cm, o que permite ajustar o espaço interno ou de carga do porta-malas.


A maior distância entre-eixos proporciona um bom espaço para as pernas em todos os casos (um aumento de aproximadamente 6 cm). A inclinação é regulável em cinco posições e os bancos têm um apoio de cabeça que não encobre a visão traseira na posição baixa – quando não está ocupado. Os dois assentos laterais da segunda fileira têm um comando que facilita o acesso aos da terceira fileira. Localizado na parte superior do encosto, pode ser inclinado e deslizar a base do banco para a frente com um simples gesto, liberando espaço suficiente para acessar a terceira fileira.


Mesinhas dobráveis

Modelo conta com equipamentos bastante úteis, como mesinhas dos bancos traseiros, persianas de proteção solar e porta-objetos no assoalho da segunda fileira.
É equipado com dois espaços de arrumação sob os pés dos passageiros da segunda fileira, persianas com enroladores de inércia integradas à parte superior dos painéis das portas traseiras e mesinhas atrás do encosto dos bancos da primeira fileira. Com um quadro de comandos no centro do console central (abaixo das saídas de ar), os passageiros da segunda fileira podem ajustar o fluxo do ar-condicionado, com quatro níveis de intensidade.

Viagem a convite da Peugeot


Mais por menos

Passat ganha novos equipamentos e ainda fica R$ 13 mil mais barato.

Mais equipado e, o que é melhor, R$ 13 mil mais barato. O Passat 2018 passa a ser oferecido no País em versão única, a Highline, com preço sugerido de R$ 164,62 mil. O único opcional disponível é o teto solar panorâmico, por R$ 5,37 mil.

Modelo é equipado com motor 2.0 TSI de 220 cv e 35,7 kgfm de torque. Acoplado à transmissão automática DSG de 6 marchas, acelera de 0 a 100 km/h em apenas 6,8 s e atinge a velocidade máxima de 246 km/h.

Fabricado em Emden, na Alemanha, o sedã de luxo da Volkswagen agora traz de série tecnologias que até então eram opcionais, como o Painel Digital Programável (Active Info Display), seleção do perfil de condução com controle adaptativo da suspensão DCC, ACC - Adaptive Cruise Control (Controle adaptativo de distância e velocidade) com função de frenagem de emergência City Emergency Brake e sistema de monitoramento frontal Front Assist e, como maior destaque, a terceira geração do Discover Pro, com tela sensível ao toque de 9,2’’ e controle por meio de gestos.


O carro é baseado na Estratégia Modular MQB. Graças a essa plataforma, suas proporções são dinâmicas: 4,77 m de comprimento e 2,79 m de distância entre-eixos.

A construção progressiva do veículo com aços de ultra-alta resistência e conformados a quente (utilizados em 27% da estrutura) ajudam a manter baixo seu peso. Também contribui para isso a utilização de alumínio em sua carroceria.

Faróis e lanternas em LED

Faróis em LED (diodo emissor de luz) com tecnologia de projeção são compostos por dois discretos módulos de lentes. Outro destaque são as luzes de condução diurna com 32 LEDs. O largo indicador (12 LEDs) enfatiza o desenho do farol. Os diodos dos indicadores de direção estão colocados na parte interna do farol.


O LED também está presente nas lanternas. Durante a frenagem, a assinatura de luz na posição horizontal passa à posição vertical, causando efeito visual que chama a atenção dos demais condutores e contribuindo para a segurança.

Itens de série 

Modelo vem equipado com bancos dianteiros com ajuste elétrico, aquecimento e apoio lombar com massageador para o motorista (com três posições de memória e função easy-entry, que recua automaticamente o banco para ampliar a área de acesso ao veículo e o retorna à posição original), seis air bags (dianteiros, laterais e tipo cortina), ar-condicionado Climatronic com três zonas de resfriamento – motorista, passageiro e ocupantes do banco de trás –, iluminação em LED na região dos pés, relógio analógico no painel e sistema Kessy (acesso ao veículo sem uso de chave e partida por botão no console).


Há ainda porta-luvas refrigerado, apoio de braços central dianteiro com porta-objetos, câmera traseira de auxílio para manobras, freio de estacionamento de acionamento elétrico, detector de fadiga e retrovisores externos elétricos com memória do lado do motorista. Também está incluído o sistema start-stop, que desliga/liga automaticamente o motor em paradas de trânsito intenso ou semáforo, colaborando para a redução do consumo de combustível.


O volante é multifuncional, inclui as aletas (shift paddles) para trocar de marchas e tem revestimento em couro e comandos do rádio, computador de bordo e controlador automático de velocidade. Os bancos são revestidos em couro nappa. As rodas em liga-leve aro 18’’ têm desenho Dartford, com pneus autosselantes nas medidas 235/45 R18.

Discover Pro

A terceira geração do sistema Discover Pro, a mais avançada da Volkswagen no mundo, permite o máximo de conectividade e controle por gestos, recurso exclusivo no segmento.
A tela tem agora 9,2’’ (a anterior era de 8’’), ou cerca de 23 cm na diagonal – as dimensões a tornam semelhante a um tablet. Além disso, não há botões “físicos” (novamente como em um tablet, as teclas são sensíveis ao toque), formando uma superfície sofisticada totalmente em “black piano”.


O controle por gestos – movimenta-se lateralmente a mão – permite acessar o menu de informações do sistema, alterar estações de rádio, selecionar músicas para reprodução, navegar pelas capas dos álbuns, fotos e pelas páginas do menu de funções do carro. O Discover Pro permite conectividade avançada.


Também traz recursos de comando de voz e navegação integrados.

Painel digital

A linha 2018 passa a trazer de série o quadro de instrumentos totalmente digital (Active Info Display). Nesse sistema, todos os instrumentos são implementados virtualmente via software. Somente as luzes/ícones na borda inferior do mostrador são exibidas por meio de hardware. Informações de navegação podem ser mostradas em 2D ou 3D, em uma tela de 12,3’’.

Rumo aos primórdios do Brasil

Expedição da Nissan desbrava as belezas naturais do interior do Mato Grosso, colocando a Frontier a toda prova.


Cuiabá, MT - Sítios arqueológicos, formações geológicas de tirar o fôlego e trilhas off-road radicais. A Expedição Nissan: à procura do início do Brasil percorreu 900 km entre os últimos dias 24 e 26 para explorar algumas das riquezas naturais do Mato Grosso. Tudo para mostrar do que é capaz a nova Frontier.


Ao todo, 15 picapes participaram da aventura, levando jornalistas e equipe de apoio. Mais do que um simples test-drive, consistiu em uma aventura cultural, com a participação, inclusive, de dois arqueólogos: Caroline Bachelet, doutora do Museu Nacional de História Natural de Paris, e Levy Figuti, também doutor do Museu Nacional de História Natural de Paris e professor doutor do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP.


Várias unidades da nova versão de entrada SE 4x4 (R$ 150,9 mil) também estavam lá, encarando os mesmos desafios da topo de linha LE 4x4 (R$ 168,7 mil).


NÚMEROS


O Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo, com 113,9 milhões de toneladas, perdendo apenas para os Estados Unidos. E o Mato Grosso é o maior produtor do País, com 30,5 milhões de toneladas. O Estado também é o maior produtor de milho do Brasil. Outro recorde detido pelo Mato Grosso é o do número de cabeças de gado: 30 milhões, cerca de 35% do total do rebanho brasileiro.




Acompanhe a seguir os detalhes dos três dias de expedição.


DIA 1


As 15 unidades da Frontier partiram ao raiar do dia 24 de um hotel no Centro da capital do Estado, Cuiabá, com destino à Serra das Araras. O grupo de 14 jornalistas de diversas regiões do Brasil foi acompanhado por uma equipe de apoio que incluiu até uma ambulância, para eventuais casos de necessidade, pois as extensões territoriais são imensas no Mato Grosso. E apesar da menor distância entre dois pontos ser uma reta, não teria graça percorrer apenas pelo asfalto os 60 km até o município de Jangada, na Fazenda Santa Elina, de 12 mil hectares, onde foram descobertas, em 1984, centenas de pinturas em paredões de rocha. Em meio a caminhos de estrada de chão, foram nada menos que 400 km para cumprir esse trajeto. Na fazenda, a recepção teve direito a pastel frito na hora e caldo de cana, a popular garapa (ou guarapa).

Uma carretinha foi doada pela Nissan para que os visitantes que não dispõem de veículos utilitários possam ser rebocados por uma picape ou caminhão. Afinal, para acessar o sítio arqueológico é necessário percorrer estradas vicinais não muito bem conservadas. Depois disso há uma trilha de 500 m em meio à mata que precisa ser percorrida a pé. Perneiras são item de segurança para minimizar os efeitos de uma eventual picada de cobra.


No início da tarde, uma parada para o almoço em um restaurante à beira da estrada. No cardápio, comidas regionais e até um churrasco assado na hora. Horas mais tarde, todos tiraram um tempo para visitar a Cachoeira do Pingador, pouco conhecida pelos turistas.

No final da tarde, hora de seguir até a Chapada dos Guimarães, formação rochosa que também dá nome à conhecida cidade turística de apenas 18 mil habitantes. A chegada à pousada que leva o sugestivo nome de Penhasco ocorreu já no início da noite. Hora de descansar e apreciar a bela vista, que tem ao fundo as luzes de Cuiabá, uma metrópole com 600 mil habitantes.

DIA 2

Depois de um café da manhã reforçado, a caravana seguiu bem cedo para a Fazenda das Perdidas, de 7 mil hectares, no município de Jaciara. O curioso nome tem explicação: nas décadas passadas, as vacas que eram levadas pelos tropeiros acabavam se perdendo no vale existente entre as montanhas. E é justamente neste vale que fica outro sítio arqueológico, que pode ser acessado com apenas 15 minutos de caminhada na mata. Fácil, diante das 12 horas necessárias para se chegar a outros sítios arqueológicos existentes neste Estado.

Ainda pela manhã, hora de um gesto de respeito à natureza: o plantio de mudas de ipê amarelo e rosa. O presidente da montadora no Brasil, Marco Silva, participou da ação. Como ninguém é de ferro, a seguir o destino era o almoço em um restaurante escondido no meio de uma fazenda. Foi a dona Deuza (grafado com Z mesmo) que preparou galinha caipira, peixe frito e carne de porco. Como sobremesa, melancia, laranja e goiaba. Ao passar pelas estradas internas da fazenda, as máquinas estavam a todo vapor colhendo a soja, grão que torna o Mato Grosso uma potência em área plantada e produtividade. A criação de gado é outra atividade de destaque, gerando uma saudável competição com o vizinho Mato Grosso do Sul.


A seguir, uma das mais belas atrações da expedição estava por vir: a visitação à formação rochosa Crista do Galo. O caminho até lá foi tão especial quanto a vista. A estrada estreita, repleta de buracos e desníveis, exigiu muitos dos recursos tecnológicos da Frontier, como a tração 4x4 e o Controle Automático de Descida (HDC), em que basta apertar um botão no console central para que o sistema freie o veículo, permitindo ao motorista tirar o pé do pedal e apenas guiá-lo. Foi em ocasiões como essa que a picape comprovou sua eficiência e a força do motor 2.3 turbodiesel de 190 cv de potência e 45,9 kgfm de torque.

Tudo sempre com muito silêncio a bordo. No final da trilha, é necessário vencer uma íngreme subida a pé para poder contemplar a Crista de Galo – as formações compõem uma figura que se assemelha à crista desta ave. A vista espetacular é para a Chapada dos Guimarães e uma tempestade que se aproximava no horizonte, com muitos raios, fez ecoar o estrondo dos trovões, aumentando o clima de aventura. A volta para a pousada ocorreu com muita chuva, totalizando 360 km neste segundo dia.



DIA 3

O terceiro e último dia começou com mais chuva, que no entanto parou antes da expedição chegar à sede do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Basta descer uma pequena escadaria para dar de cara com a Cachoeira Véu de Noiva, com seus 86 m de altura. Neste momento os mosquitos castigaram os expedicionários e o repelente se fez indispensável.

Após uma breve palestra sobre o parque, hora de conhecer a Cidade de Pedra. Uma trilha em meio ao serrado leva à beira dos precipícios da Chapada. De lá avista-se, sob outro ângulo, a Crista de Galo, que torna-se pequena diante da imensidão dos paredões.

Quarenta minutos de contemplação e muitas fotos depois, todos partiram rumo à última atração: um restaurante panorâmico de onde também se vê a chapada. Em um mirante mais abaixo, onde os ufólogos garantem tratar-se de um “aeroporto de discos voadores”, as picapes são estrategicamente posiciondas para a foto oficial. O retorno até Cuiabá marca o fim de uma aventura cultural inesquecível.

Viagem a convite da Nissan



Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS