VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
BAH!rulho

Ziggy Ama Tom divulga primeiro single do seu novo EP

Banda de Canoas liberou a música Foguete, primeira do EP João Anda Mudado, que deve sair no final de julho.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Banda Ziggy Ama Tom prepara lançamento do EP João Anda Mudado
O Bah!rulho acompanhou, em 2017, o lançamento do EP de estreia da banda Ziggy Ama Tom. Depois do primeiro trabalho homônimo, o grupo de Canoas está divulgando seu segundo EP. Foguete, primeiro single do novo trabalho, foi lançado nesta quinta-feira (11). Com a mudança de baixista, a banda agora conta com Júlio Leal (bateria), Vander Lubini (baixo), Cláudio Silva (guitarra) e Paulo Rodriguez (vocal). O novo registro, mais uma vez produzido pela própria banda e por Thomas Dreher, terá seis músicas e traz o nome de João Anda Mudado.

O som do grupo é uma mistura de punk com letras que remetam à poesia de Charles Bukowski e crítica social. Paulo Rodriguez explica o nome do EP. "É o título de uma das faixas, mas também tem um conceito. É um título que dialoga com a temática de outras músicas do disco. Então acreditamos que resume bem a ideia que queremos passar." O primeiro single dá uma ideia do trabalho que deve ser lançado no final de julho. O Bah!rulho conversou com os caras da Ziggy Ama Tom pra saber um pouco mais sobre o novo EP da banda. Dá play no Foguete ali embaixo e confere a entrevista. Se liga aí:

O que mudou no som da banda desde o lançamento do primeiro EP?
Sempre há mudanças quando o tempo passa. Podemos dizer que ficamos melhores sem parecer arrogância? Mas existem outros fatores também, como a troca de baixista. O Júlio, nosso baterista, participou mais da criação das músicas deste EP, já que no outro ele mais seguiu o que o baterista anterior tinha criado.Ee fazer um segundo EP exige de cada um mais cancha, já não somos insipientes. Há que se falar também sobre o Thomas Dreher. A impressão é que este EP exigiu também mais dele do que o primeiro. E isso aparece em forma de sons, ruídos e climas.

A mudança de baixista influenciou nessa mudança?
A gente acredita que sim. Outras pessoas, outras ideias, outras visões. Trocar o baixista acarretou uma série de coisas: o novo baixista já estava na banda como guitarrista. Então, quando o Vander se decidiu pelo baixo, o Cláudio acabou assumindo sozinho a guitarra, e isso, pra ele, foi um bom desafio, algo pra superar, já que neste EP as músicas vêm com uma pegada menos punk, são mais elaboradas. E como foi dito anteriormente, o Júlio deu mais a cara dele nesse EP que no outro, e o Júlio, como baterista, tem uma cara bonita. Agora, tem coisas neste EP novo que também tem a mão dos ex-integrantes, e isso é tranquilo.

O que inspirou vocês para as composições deste trabalho?
Mais ou menos as mesmas coisas que nos inspiraram no trabalho anterior. Isto é, este País, a raiva de ver que as coisas não mudam como poderiam. Estamos sempre atentos aos acontecimentos e isso vai formando o conteúdo das nossas músicas.

Como foi a repercussão do primeiro trabalho e o que a banda espera desse novo lançamento?
A gente precisa ser honesto. A repercussão do primeiro trabalho foi de acordo com o que éramos naquele momento. Éramos uma banda pequena, a fim de mostrar nossa arte, mas sem grandes expectativas. E assim aconteceu. Fomos vistos e ouvidos por poucos por aí. Nada pra se reclamar. Pra este próximo, a coisa deve ser só um pouco diferente, afinal somos menos desconhecidos. Enfim, a gente está aí pra mostrar nosso trabalho.

Influências diretas de alguma banda/artista para as novas músicas?
Tem. Mas acho que citar um ou outro seria criar expectativas ou influenciar, para o bem ou para o mal, quem está disposto a nos ouvir. Após a audição, cada um que ache que determinado som lembra esta ou aquela banda. A nossa maior influência ainda são as coisas que vivemos por aí. Daí vem o peso, daí vem o clima, daí vem o grito.

Social Animal é o primeiro clipe do novo disco da Supervão

Segundo single do álbum Faz Party ganhou vídeo dirigido por Theo Tajes.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Capa do single Social Animal
Saiu o primeiro clipe do disco de estreia da Supervão. A banda de São Leopoldo, que tem no currículo os EPs Lua Degradê (2016) e TMJNT (2017), prepara para o dia 26 de julho o lançamento do seu primeiro álbum: Faz Party. Mario Arruda, Leonardo Serafini e Ricardo Giacomoni escolheram a música Social Animal para virar vídeo. Antes, o grupo já havia liberado o single Sol do Samba.

"Parecemos alienígenas uns aos outros. No entanto, quando tomado pelo ritmo, pelo forró de seu amor (pelo ritmo de seu amor, de sua vitalidade) o personagem sente uma força que o faz dançar, cantar e contagiar os outros presentes no karaokê", comenta o vocalista Mario Arruda. "Mesmo com uma sensação de derrota no mundo, algo pode acontecer que nos faz celebrar, festejar. Faz parte perder, mas também faz parte festejar. Faz Party", conta Mario Arruda, sobre o clipe dirigido por Theo Tajes e estrelado pelo ator Shico Menegat. Se liga aí:

Documentário relembra as três décadas dos Racionais

Mano Brown, Edi Rock, KL Jay e Ice Blue falam sobre a trajetória do grupo.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Mano Brown, KL Jay, Ice Blue e Edi Rock celebram 30 anos de carreira dos Racionais
Um dos maiores – se não o maior – nomes do rap nacional, os Racionais MC's estão comemorando três décadas de estrada. Além das coletâneas e EPs, eles têm quatro discos lançados: Raio X Brasil (1993), Sobrevivendo No Inferno (1997), Nada Como Um Dia após o Outro Dia (2002) e Cores & Valores (2014). Para marcar os 30 anos de carreira, Mano Brown, Edi Rock, KL Jay e Ice Blue acabam de lançar um minidocumentário relembrando os momentos mais marcantes da trajetória do grupo. Em 18 minutos, eles falam sobre os álbuns e a história do grupo.

A partir do dia 20 de julho, eles também iniciam uma turnê comemorativa passando pelas capitais brasileiras. Por enquanto Porto Alegre não está no roteiro. O Bah!rulho te deixa com o doc e com o clipe de Vida Loka II, do álbum Nada Como Um Dia após o Outro Dia, que o próprio Mano Brown aponta no documentário como o mais importante dos Racionais. Se liga aí:

Emicida lança música AmarElo, que dá nome ao seu próximo disco

Rapper conta com as participações de Majur e Pabllo Vittar no novo single.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Emicida está preparando lançamento do terceiro álbum
Emicida acaba de lançar o single AmarElo, título que dará nome ao seu novo disco. Com participações de Majur e Pabllo Vittar, a música abre com o áudio que o rapper recebeu de um amigo que tentou suicídio e ainda traz um sample da canção Sujeito de Sorte, de Belchior. O clipe foi gravado no Complexo Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, e dirigido por Sandiego Fernandes. AmarElo será o terceiro álbum da carreira de Emicida. "No primeiro passo desse processo, nossa intenção era que as pessoas se sentissem grandes ao olharem no espelho. Agora, a ideia é que elas observem ao redor e se enxerguem maiores do que os seus problemas, independente de quais sejam", disse Emicida, que já havia lançado a música Eminência Parda, que também deve estar no novo trabalho. Se liga aí:

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
(54) 3286.0988
(51) 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE
54 3286.0718
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS