Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Viver com Saúde

Entenda a apendicite, doença que exige cirurgia imediata

Dor ou desconforto na região abdominal pode ser sintoma da inflamação
22/04/2019 03:00 25/04/2019 14:42

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Fábio Strauss, cirurgião
Há muitas divergências sobre a função do apêndice no nosso organismo. Há quem diga que não tem função alguma, mas também existem especialistas acreditando que esta região ligada ao intestino grosso pelo lado direito é rica em tecido linfoide, que possui uma grande quantidade de células de defesa. O importante é se atentar à inflamação nessa região. Confira detalhes na entrevista com o cirurgião geral Fábio Strauss.

O que é a apendicite? O que acontece com nosso corpo quando ela surge?
Mesmo que ainda existam divergências em relação à função do apêndice, é certo que a apendicite precisa ser diagnosticada o mais rápido possível. Apendicite é, então, a inflamação do apêndice. Quando ocorre a apendicite, a pessoa passa a ter desde um leve desconforto na região abdominal até casos de dores fortes, muitas vezes sem conseguir nem se mexer de tanta dor.

Se não tratada adequadamente, a apendicite pode levar à morte, certo?
Sim, se não for realizado o tratamento, e no caso da apendicite o tratamento é a cirurgia, pode sim evoluir para morte.

Há como fazer um diagnóstico precoce da apendicite? Como é realizado?
Sim, há como fazer um diagnóstico precoce e isso é fundamental. O diagnóstico é feito através da consulta médica e exame físico - o médico examina o paciente. Em alguns casos, existe a necessidade de exames para complementar este diagnóstico. Os exames mais comuns para este diagnóstico são exame de sangue, ecografia abdominal e a tomografia computadorizada.

Há alguma faixa etária mais acometida pela doença?
A faixa etária mais acometida pela apendicite são os jovens, porém a doença pode ocorrer com todas as pessoas em qualquer idade.

O que pode causar a apendicite? Fatores genéticos podem influenciar?
Não existe uma maneira de evitar que se tenha apendicite, o que acontece na maioria das vezes é um fecalito (fezes pequenas) que obstrui o orifício do apêndice, não deixando o sangue circular, causando uma obstrução que leva à inflamação e depois à infecção. E sim, fatores genéticos sempre influenciam em qualquer problema de saúde.

A dor é sempre na região do abdome? Pode irradiar para outras partes do corpo?
A dor normalmente é no abdome, mas pode sim irradiar para a perna direita, inclusive levando a uma dificuldade para caminhar em alguns casos.

Como é a cirurgia da apendicite? E como é a recuperação do paciente?
A cirurgia consiste na retirada do apêndice e, caso consiga ser realizada na fase inicial, a recuperação é rápida e normalmente o paciente fica apenas um dia internado. A cirurgia pode ser realizada por videolaparoscopia, o que leva a uma recuperação mais rápida e um retorno mais rápido às suas atividades diárias, ou da maneira tradicional, com um corte no abdome.

A retirada do apêndice pode provocar alguma mudança na função intestinal do paciente? (Inclusive nos casos em que ele rompe)
A retirada do apêndice não altera a função intestinal do paciente. Em casos em que ele já se rompeu, a recuperação é mais demorada, algumas vezes este paciente tem que realizar mais de uma cirurgia. Alguns casos podem, inclusive, levar à morte.

Após a cirurgia, o paciente precisa mudar algo em sua rotina? (Na alimentação, por exemplo)
A rotina depois da cirurgia só é modificada nos primeiros dias, que precisa de uma alimentação mais leve e de um certo repouso. Porém depois dessa fase inicial a rotina passa a ser a mesma que tinha antes da cirurgia. Sabemos que se a cirurgia foi realizada por videolaparoscopia a recuperação final e muito mais rápida e seu retorno as suas atividades diárias também é mais rápida.

Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS