Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Viver com Saúde

Saiba quais são os primeiros passos para sair do sedentarismo

A prática de exercícios deve ser planejada e organizada para ser duradoura. Boa alimentação e sono também contribuem para qualidade de vida
08/04/2019 03:00 08/04/2019 15:06

O tempo é curto, eu sei! Todos os dias, temos compromissos que demandam nossas energias físicas e emocionais, seja no trabalho, estudo ou em casa. Achar um momento ou disposição para a prática de exercícios físicos nem sempre é fácil para o brasileiro. De acordo com estudo divulgado em setembro do ano passado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo chega a 47% da população do País, nos colocando entre os mais inertes fisicamente do mundo. Na América Latina, o índice é de 39% do total. Para mudarmos este panorama, a orientação de diferentes profissionais é unânime: precisamos de disciplina, organização e metas palpáveis.

Foto por: Letícia Rossa/GES-Especial
Descrição da foto: Peterson Rosa, 28 anos
A falta de prática regular de exercícios físicos fez o estudante de Publicidade Peterson Rosa, 28 anos, chegar aos 94 quilos. O peso distribuído em 1,69 metro de altura começou a prejudicar os joelhos e causava cansaço. Mas, foi somente em uma ida à praia, aos 23 anos, que percebeu que a situação também o afetava emocionalmente. Quando se viu de sunga no espelho, ficou inconformado com a própria imagem.

O desejo pela mudança o fez procurar um profissional da Nutrição para acompanhamento. Aos poucos, adaptou a dieta a alimentos saudáveis que gostava de consumir. Passou a comer salada, pães integrais e reduzir o açúcar. Na época, fazia caminhadas diárias. Depois, as corridas e pedaladas. Aos 25, decidiu que entraria para a academia. Hoje, com 64 quilos, brinca: "Tomei iniciativa de mudar. Costumo dizer que criei vergonha na cara".

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Marcelo Marques Soares, professor de Educação Física
Este estímulo que comenta Rosa é fundamental para que o iniciante fidelize a prática de exercícios. O doutor em Ciências da Atividade Física e Esportiva Marcelo Marques Soares aconselha a quem deseja começar uma vida fisicamente ativa a realizar um check-up com acompanhamento médico e exames. "Depois, o ideal é procurar auxílio com profissionais da Educação Física, para prescrição de exercícios adequados, e Nutrição, para a alimentação", reforça.

É necessária muita paciência e consciência de quem decidiu se mexer. A nutricionista especialista em Nutrição Esportiva Fernanda Ody reforça que a pessoa terá que se planejar e se organizar com metas razoáveis e atingíveis. Do contrário, pode fatigar ou lesionar. "Comece por algo que caiba em sua rotina, que conseguirá fazer", salienta, lembrando que o mesmo vale para a alimentação. "Coma comida de verdade e habitual, como o arroz, feijão, proteínas, salada. Inclua frutas na alimentação. Mas, sempre busque o equilíbrio, cuide dos horários, o que vai comer e em que momento. Isso vai impactar no rendimento durante o exercício e o dia."

Fernanda Ody, nutricionista Peterson se reeducou com alimentação e prática de exercícios e os benefícios, segundo ele, são imensuráveis. "A disposição teve bastante impacto. Consigo fazer tudo o que quero, além de me sentir bem com meu corpo e comigo mesmo", salienta.

A rotina de atividades físicas, agora, passados cinco anos de mudanças, é intensa. Faz de duas a três horas de academia diariamente, de 16 a 20 quilômetros de bicicleta aos finais de semana e se alimenta a cada três horas. "Tente não parar, não achar desculpas, mas manter uma rotina", aconselha.


  • Peterson Rosa, 28 anos
    Foto: Letícia Rossa/GES-Especial

  • Foto:
  • Fernanda Ody, nutricionista
    Foto: Divulgação

Organize a alimentação

A má alimentação aumenta as chances de desenvolver doenças crônicas, obesidade, hipertensão, diabete, câncer e doenças cardiovasculares. A nutricionista Fernanda aconselha a começar aos poucos. "Onde, neste momento, vou tentar melhorar? Talvez fazer um almoço saudável com arroz e feijão, salada, alguma proteína", explica.

Ela diz que é necessário planejar em longo prazo. "Pessoas que são acostumadas a consumir muito açúcar podem analisar em que diminuir o consumo, se no café ou sobremesas, ou trocar por chocolate meio amargo acima de 70% de cacau, para tu ires se acostumando".

A cada duas semanas, a profissional aconselha estipular um novo objetivo focado na melhora da qualidade da alimentação. "O ser humano não nasceu para ser inativo", reforça.

Caminhada da saúde

Foto por: Arquivo pessoal
Descrição da foto: DEPOIS DO SUSTO: Milto foi para a esteira; Elaine, não
O indivíduo sedentário, explica Soares, expõe o aparelho locomotor a uma condição de limitação funcional crescente, onde as articulações são mais instáveis, a massa óssea e muscular se apresentam reduzidas, ocorrendo a perda da flexibilidade, força muscular e o aumento do percentual de gordura.

Os problemas da falta de exercícios se tornaram latentes no casal Milto Pires Ferreira, 55 anos, empresário, e Elaine Pires Ferreira, 58 anos, aposentada, no ano passado, quando ele desenvolveu arritmia cardíaca e ela, edema pulmonar.

Ambos ficaram hospitalizados no mesmo período. O susto foi capaz de fazer o homem realizar caminhadas de três quilômetros diariamente, mas ela ainda não conseguiu retornar o mesmo compasso.

A caminhada, lembra Soares, é um grande exercício. "Comece com percursos mais curtos, de 15 a 20 minutos, intercalando os dias. Vá aumentando gradativamente. O exercício aeróbico melhora o condicionamento vascular, reforça os grupos musculares, fortalece a exigência dos ossos", salienta.

Milto tem sentido isso. "Melhorou tudo, principalmente a disposição. Emagreci dez quilos", compartilha, lembrando que nos exames periódicos notou que a saúde melhorou, inclusive a pressão arterial.

Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS