Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Transtorno mental

Veja dicas para controlar a ansiedade e os principais gatilhos

Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 23 milhões de brasileiros, ou seja, 12% da nossa população, tenham algum transtorno mental. Ansiedade patológica é uma das doenças no topo dessa lista
28/01/2019 03:00 29/01/2019 13:41

Friozinho na barriga antes do primeiro dia de aula. Aquela expectativa na noite anterior à entrevista para o emprego dos sonhos. A espera por aquela viagem ao paraíso. Todas estas sensações são completamente normais a qualquer ser humano, mas podem ser sinônimo de sofrimento para algumas pessoas. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 23 milhões de brasileiros, ou seja, 12% da população do País tem algum transtorno mental. O estudo ainda apontou que aos menos 5 milhões de brasileiros sofrem com transtornos graves ou persistentes. E não é apenas a depressão: bipolaridade, esquizofrenia e o transtorno de ansiedade também ocupam o topo da lista.

Foto por: Marco Bourscheid/GES-Especial
Descrição da foto: Psiquiatra Michele Castelan Stüker
Sabe aquele ditado que diz que não se deve passar a carroça na frente dos bois? Para algumas pessoas, a reação imediata é de colocar a carroça, os bois, e ainda correr na frente de tudo isso. A psiquiatra em Novo Hamburgo Michele Castelan Stüker diferencia a ansiedade comum daquela que é sinônimo de doença.

"É importante ter claro em mente que a ansiedade é uma característica biológica normal, tanto em seres humanos quanto animais, é normal estar ansioso ou nervoso frente a uma situação nova, como uma entrevista de emprego, ou até mesmo diante de uma situação de perigo real ou imaginário. Os perigos imaginários são essas fantasias do futuro, do tipo 'será que um dia posso ser assaltado?' Quando essas sensações são sentidas sem uma razão aparente ou em uma forma excessiva e continuada, fazendo com que o indivíduo fique paralisado, sem saber como resolver aquele problema, como vai agir diante de uma situação simples, temos uma ansiedade patológica, que precisa de mais cuidados. Essa ansiedade patológica vai se caracterizar por um excesso de preocupação com o futuro, prejudicando o indivíduo no momento presente dele. Esses pensamentos disfuncionais (fora da realidade) levam a um sentimento de medo quanto ao futuro, prejudicando as atividades corriqueiras, pois esta pessoa não consegue concluir suas tarefas", detalha.

Dor física

A médica ainda explica que, neste grau, a ansiedade vem acompanhada de prejuízos físicos. "Neste momento, os sintomas físicos começam a aparecer, entre eles, os mais comuns são palpitação, taquicardia, respiração ofegante, sudorese, palidez, dores musculares, náuseas e vômitos. Os sintomas emocionais coloco como medo, insônia, irritabilidade, apreensão, dificuldade de concentração e insegurança. Há outras consequências na alteração do comportamento, como a paralisação. Outras pessoas reagem com uma agitação em excesso, começam a roer as unhas", cita.


  • Ansiedade é um males que mais acomete a população mundial
    Foto: Pixabay
  • Psiquiatra Michele Castelan Stüker
    Foto: Marco Bourscheid/GES-Especial

Campanha do Janeiro Branco

Em 2014, foi lançada na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, uma campanha que incentiva o cuidado com a saúde mental em todo Brasil. O "Janeiro Branco", como ficou conhecida, destaca o período do ano em que as pessoas mais ficam apreensivas para realizar alguma tarefa ou projeto. "Nesta época do ano, as pessoas idealizam muitos sonhos, têm muitos projetos e vejo que à medida em que elas não conseguem os resultados propostos no tempo e na maneira que criaram, acabam se tornando mais ansiosas. Aqui a questão é definir uma realidade presente. Cuidar para que esses sonhos e expectativas grandiosas não tragam frustração, o que acaba desenvolvendo a ansiedade", cita a médica.

Como controlar a ansiedade em casa?

A psiquiatra de Novo Hamburgo traz uma dica importante de como agir em caso de uma crise de ansiedade em casa. "Primeiro passo é o controle da respiração, inspirando lentamente pelo nariz com a boca fechada e soltando pela boca. Fazer isso várias vezes. O ideal é tentar ir para um lugar o mais calmo possível e aí sim fazer esta técnica de respiração", destaca.

O cuidado constante com a saúde também é algo fundamental. "A atividade física é essencial, pois, por exemplo, durante uma caminhada, o exercício será bom para o funcionamento corporal, mas também aproveitado para trabalhar a mente. Quem caminha, pensa, sob forma de meditação ativa, o que acho essencial. Evite também pensamentos negativos ou sobre catástrofes, tentar desviar esse foco do pensamento. Outra dica importante é: seja organizado. Quem vive na bagunça, gasta um tempo imenso para achar suas coisas, acumula outras sem utilidade, dificulta o bem-estar e acaba por criar automaticamente um sentimento de ansiedade. E ainda: esteja na companhia de quem você ama, isso é especial para o nosso emocional. Por fim, dedique tempo para se cuidar, o autocuidado ajuda também a controlar a ansiedade", reforça.

Atenção para os gatilhos para a ansiedade patológica

Para evitar sintomas de ansiedade crônica e níveis altos de estresse é preciso também fugir destes gatilhos:

Álcool: depressivo temporário, as pessoas o usam para o relaxamento. Após este primeiro efeito de relaxar, a bebida alcoólica pode induzir à ansiedade.

Comportamento antissocial: quando você está estressado e ansioso é natural a reclusão, evitar encontrar amigos, passar o fim de semana vendo televisão ou no celular, mas a extrema reclusão também pode levar à ansiedade.

Excesso de trabalho: uma boa ética de trabalho é louvável, mas se você está estressado porque tem muito trabalho, fazer horas extras vai piorar a sua ansiedade.

Dieta errada: você precisa de uma quantidade suficiente de nutrientes a fim de permanecer mentalmente e fisicamente saudável.

Falta de sono: quando você está estressado, seu sono pode ser prejudicado. O sono é uma parte vital para manter a mente e o corpo saudáveis. Quando o sono é privado, seu estado mental piora.

Baixo teor de açúcar no sangue: sem uma quantidade adequada de glicose e nutrientes, o cérebro não é capaz de funcionar adequadamente, podendo levar à tontura, fraqueza. Quando os níveis de açúcar estão baixos, o cérebro vê isso como uma ameaça, o que pode também desenvolver a ansiedade.

Gestão de estresse deficiente: todos enfrentamento situações estressantes. Aprender a gerenciar seu estresse é vital para prevenir o estresse crônico e a ansiedade, o que pode ser feito com auxílio de uma corrida, leitura, encontro com as amigas, pintura, é preciso encontrar o que mais funciona para você. Se não encontrar uma maneira de gerenciar seu estresse, ele poderá rapidamente sair do controle.

Fonte: Extraído do livro O Segredo

Quando é hora de tomar remédio?

Não basta apenas um pensamento positivo para fazer sarar a dor física e emocional trazida pelo transtorno de ansiedade. "Para tratar um paciente, primeiramente o diagnóstico tem que ser muito claro. O paciente tem que primeiramente passar por uma avaliação cardiorrespiratória, em que um exame físico será feito com atenção, para excluir qualquer tipo de doença como hipertensão, arritmia ou insuficiência respiratória. Faço sempre uma avaliação laboratorial em que constam um hemograma básico, a função hepática, renal e a tireoide, que considero muito importantes para descartar qualquer doença orgânica. Tendo o diagnóstico estabelecido como transtorno de ansiedade, o tratamento é feito então de acordo com a intensidade dos sintomas e a necessidade de cada pessoa, envolvendo principalmente então psicoterapia e uso de medicamentos. Os medicamentos, neste caso, vão atuar em nível cerebral pra reduzir os sintomas ansiosos", ressalta Michele.

Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS