Publicidade
Notícias | Região Brasília

Comissão da Câmara aprova Gramado como Capital Nacional do Chocolate Artesanal

O texto seguirá agora para o Senado, caso não haja recurso para análise pelo Plenário da Câmara

Última atualização: 23.06.2019 às 20:09

Foto por: Gabriel Guedes/GES-Especial
Descrição da foto: Feriadão de Páscoa é o auge da celebração do chocolate artesanal feito em Gramado
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 9949/18, que confere a Gramado o título de Capital Nacional do Chocolate Artesanal.

O texto seguirá agora para o Senado, caso não haja recurso para análise pelo Plenário da Câmara.

Autor da proposta, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) informou que o início da produção local de chocolate artesanal em Gramado ocorreu na década de 1970, com o chocolate Prawer. “A Varig, então a maior empresa de aviação nacional, oferecia o produto nos kits de viagem a seus passageiros”, lembrou.

A abertura da primeira loja Prawer coincidiu com a 4ª Edição do Festival de Cinema Brasileiro de Gramado, em 1976. "Essa coincidência proporcionou uma grande mídia espontânea ao empreendimento de Jaime Prawer, em função da presença de artistas e jornalistas do centro do País", disse o autor da proposta.

Para Goergen, a concessão do título de Capital Nacional do Chocolate Artesanal será uma forma de valorizar a região serrana gaúcha como produtora dessa iguaria, disseminada nacional e internacionalmente.

A CCJ acompanhou o parecer do relator, deputado Sanderson (PSL-RS), pela constitucionalidade e juridicidade da proposta.

TRADIÇÃO

O projeto já havia sido aprovado, em 2018, pela Comissão de Cultura. Nesse colegiado, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) destacou que a relação dos moradores de Gramado com o chocolate artesanal não é só comercial, mas afetiva e cultural. "A relação é tão visceral que os produtores criaram a Associação dos Chocolateiros de Gramado, protagonista na defesa do produto local", disse.


Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.