Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Esporte

Duelos no jiu-jítsu movimentaram o Perinão em Gramado

International Pro ocorreu no final de semana e reuniu cerca de 700 atletas
09/07/2018 17:21 09/07/2018 17:25

Rafael Cavalli/Divulgação
Competições ocorreram no domingo, no Ginásio Perinão, em Gramado
O International Pro de Jiu-Jítsu, que ocorreu no último final de semana no Ginásio Perinão reuniu cerca de 700 atletas e um público de 2 mil pessoas. Para a organização, o evento “foi incrível”. “Gramado superou minhas expectativas, deu para perceber o quanto a cidade gosta do esporte, o nível técnico se manteve alto durante todo o evento, as equipes locais e as visitantes estão de parabéns”, destaca Elias Eberhardt, organizador do evento no Brasil. “Esperamos em breve estar de volta, gostaríamos que o Jiu-jitsu fizesse parte do calendário oficial de atrações da cidade, esse é nosso sonho”, projeta. O International Pro de Gramado integra a segunda etapa do calendário da UAE Jiu-Jitsu Federation no Brasil/temporada 2017/2018.

“Luta mais difícil foi sobreviver”
Um dos competidores que esteve no tatame até as finais foi o paratleta Emanuel Araújo, 32 anos. Ele e mais cerca de 60 lutadores competiram na modalidade parajiu-jítsu. O gaúcho é policial militar e pratica a arte marcial há 12 anos. “Em 2014 sofri um acidente e perdi os movimentos do braço esquerdo, mas após dois anos de recuperação voltei a treinar jiu-jítsu. Participar de competições para mim é um divertimento. A minha luta mais difícil foi sobreviver”, relata o faixa preta morador de Charqueadas.

Para ele, competições como essas, que incentivam a inclusão, deve existir mais para tirar o estigma de que o deficiente físico é um coitado. “O recado aqui foi o de superação, e de que é possível ser feliz fazendo o que se gosta. Não é preciso desistir”, finaliza. Emanuel é campeão mundial de parajiu-jítsu.


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS