Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Corrida contra o tempo

Mergulhadores conseguem retirar mais quatro meninos da caverna na Tailândia

Permanecem presos três adolescentes e seu professor de 25 anos
09/07/2018 12:04 09/07/2018 12:07

Lillian Suwanrumpha /AFP
Polícia e militares usam guarda-chuvas para cobrir uma maca perto de um helicóptero e uma ambulância em um aeroporto militar em Chiang Rai em 9 de julho de 2018
Mergulhadores de elite conseguiram nesta segunda-feira (9) retirar mais quatro adolescentes presos na enorme caverna da cidade tailandesa de Mae Sai, em uma operação de resgate impressionante e altamente perigosa, na qual oito crianças já foram salvas. No interior da caverna, permanecem ainda três adolescentes e seu professor de 25 anos.

Os SEAL, membros de elite da marinha tailandesa que tiveram um papel crucial na arriscada operação, postaram um "Hooyah", seu grito de guerra, em sua página no Facebook ao anunciar o resgate de mais quatro jovens jogadores da equipe dos "Javalis Selvagens".

O salvamento dos quatro meninos nesta segunda-feira seguiu um padrão similar da véspera, com os jovens sendo imediatamente socorridos ao serem retirados da caverna, após um mergulho de mais de quatro quilômetros. "Teremos boas notícias dentro de algumas horas", havia afirmado no início do dia o coordenador da célula de crise, Narongsak Osottanakorn, normalmente muito prudente.

O comandante da junta militar que governa a Tailândia desde o golpe de Estado em 2014, o general Prayut Chan-O-Cha, deve visitar o local nesta segunda-feira.

A Tailândia aguarda um final feliz para os 12 meninos e seu técnico de futebol, presos na caverna de Thuam Luang, norte do país, desde 23 de junho, um acontecimento que atraiu centenas de jornalistas de todo o mundo para a região.

As chuvas de monção que ameaçam inundar novamente a complexa rede subterrânea, de quase 10 quilômetros de comprimento, é o principal desafio para os socorristas, que temem novas tempestades antes da retirada de todo o grupo da caverna.

O time de futebol integrado por 12 meninos com idades entre 11 e 16 anos e seu jovem técnico passou nove dias nas profundidades da caverna até que dois mergulhadores britânicos localizaram o grupo na segunda-feira passada. Abatidos, eles estavam sobre uma rocha a mais de quatro quilômetros da entrada da gruta.

A complexa operação de resgate começou no domingo e conseguiu salvar quatro meninos, graças ao trabalho de mergulhadores experientes que os guiaram ao longo de um caminho tortuoso, com trechos inundados e passagens muito estreitas.

Batizados pelas redes sociais como "Javalis Selvagens 1, 2, 3 e 4", os quatro meninos estão hospitalizados e se encontram bem, informou Narongsak Osottanakorn, que também é governador da província de Chiang Rai.

No momento, no entanto, permanecem afastados dos pais para evitar uma contaminação por sua atual fragilidade. "Os médicos pensam em permitir as visitas das famílias, mas separadas por um vidro", disse.

  • Quinto menino foi resgatado nesta segunda-feira de caverna na Tailândia
    Foto: @CMM_noticias/Twitter/Reprodução
  • Meninos resgatados de caverna são levados para hospital que é protegido pela polícia tailandesa
    Foto: TANG CHHIN Sothy /AFP
  • Uma ambulância deixa a área de Tham Luang após mergulhadores iniciarem a evacuação da caverna onde estão presos os 12 meninos e o treinador do time de futebol deles, na Thailândia, neste domingo (8)
    Foto: AFP
  • Primeiros seis meninos foram resgatados mais rápido do que o esperado pela equipe de crise
    Foto: AFP
  • Helicóptero é usado para transportar meninos da saída da caverna até o hospital
    Foto: AFP
  • Socorristas analisam situação para iniciar retirada de meninos preso na gruta Tham Luang
    Foto: HANDOUT / ROYAL THAI NAVY/AFP
  • Operação de resgate de time de futebol na Tailândia começou neste domingo (8)
    Foto: LILLIAN SUWANRUMPHA //AFP

Os mergulhadores precisaram descansar entre as duas missões e colocar mais cilindros de oxigênio ao longo do percurso. Isto explica o intervalo no resgate. "Trabalhamos a noite toda", afirmou um funcionário do governo da província de Chiang Rai, confirmando apenas uma pausa na operação.

A falta de detalhes aumenta a angústia dos pais que aguardam seus filhos. "Escutamos que quatro meninos saíram, mas não sabemos quem são. Vários pais continuam esperando. Ninguém foi informado de nada", declarou Supum Sompiengjai, mãe de Pheerapat, conhecido como "Night" que espera reencontrar o filho.

Além das dificuldades do percurso, sob a água, a situação fica mais complicada porque muitos meninos não sabem nadar e nenhum deles já praticou mergulho. Um ex-mergulhador da Marinha tailandesa morreu durante os trabalhos de preparação do resgate, o que demonstra a complexidade da missão.

A falta de espaço também dificulta as operações. A família de "Night" acredita que o grupo decidiu explorar a caverna após o treino de futebol para celebrar seu aniversário de 16 anos. Eles se viram surpreendidos pelo aumento do nível da água no local, na fronteira com Mianmar e Laos.

Após a localização, as equipes de resgate examinaram todas as soluções possíveis, desde a perfuração de túneis nas montanhas até a possibilidade, descartada, de aguardar por várias semanas pelo fim da temporada de monção.

Com a ameaça de mais chuva e o nível reduzido de oxigênio na galeria em que o grupo encontrou refúgio, as autoridades decidiram no domingo iniciar o resgate - mesmo com trechos de mergulho - depois de considerar que as condições eram ideais.


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS