Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) estão protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Alerta para vacinação

RS já tem cinco casos de sarampo neste ano

Ocorrências em Porto Alegre alertam para a necessidade de imunização
26/06/2018 11:02 26/06/2018 11:10

Divulgação
Nader: atenção para sintomas
O sarampo, depois de ter sido erradicado, voltou a assolar o País. Em Porto Alegre, cinco casos da doença foram confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde no último dia 20, o que preocupa o pediatra Paulo Nader, médico do Hospital Universitário de Canoas, administrado pelo Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (Gamp).

Segundo Nader, o sarampo é uma doença viral e extremamente contagiosa, que foi bastante comum há alguns anos na infância, em uma época em que a cobertura vacinal não era adequada. “Podemos identificar o sarampo pelos sintomas de febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular com vermelhidão e coriza. De dois a três dias, há o aparecimento de manchas avermelhadas, iniciando no rosto, progredindo em direção ao tórax e abdômen, atingindo as extremidades”, explica o médico.

A transmissão da doença pode ocorrer de pessoa para pessoa e é mais comumente repassada na fase em que o paciente apresenta os primeiros sintomas. A recomendação para evitar o contágio é de “além de estar vacinado, lavar bem as mãos, evitar ambientes fechados e não entrar em contato com outras pessoas que apresentem lesões avermelhadas no corpo”, detalha o especialista da cidade de Canoas.

Nada específico

Já o tratamento da doença não inclui nenhuma medida específica, além do combate da diarreia, pneumonia e otite média. Segundo o Ministério da Saúde, é recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença para reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado. Para casos sem complicação, é preciso manter a hidratação, boa alimentação e tentar diminuir a febre. Crianças necessitam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes do sarampo.

Prevenção é com a vacina

A forma mais eficaz de se prevenir da doença é a vacina. Nos municípios da região, os postos de saúde estão equipados para atender a demanda de vacinação contra o sarampo nos grupos de risco (pessoas de seis meses a 39 anos de idade). Em caso de suspeita, o pediatra orienta que o paciente procure um profissional da área, pois o sarampo pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, encefalite e levar à morte.

Nas Américas, segundo a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), 11 países já haviam notificado a doença até abril de 2018. A disseminação se iniciou pela Venezuela, que registra o maior número de casos. No Brasil, até o final de maio, foram registrados mais de mil casos suspeitos da doença.


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS