Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Ajuda para os alunos

Correr: um desafio a mais para vencer

Projeto de atletismo da EMEI Severino Travi precisa de ajuda para os alunos seguirem treinando
09/03/2018 10:23 09/03/2018 10:23

Laura Gallas/GES-Especial
O sonho dos atletas e ter recursos para participarem de mais competições
A maioria dos seres humanos é movida pela vontade de vencer, de ter uma oportunidade e poder agarrá-la com unhas e dentes. Somos também movidos pelos nossos desejos, pela forma como queremos ver o mundo. Em Canela, cerca de 20 estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Severino Travi, localizada no Distrito Industrial, buscam na corrida uma chance para um futuro melhor.

Uma vez por semana, no contra turno das atividades escolares, a professora de educação física Elaine Oliveira treina alongamentos, corridas livres e tiros de velocidade com alunos do projeto de atletismo do educandário há três anos. Atualmente, a iniciativa atende estudantes de 6 a 14 anos. “Tudo iniciou com a Luana, que hoje é ex-aluna da escola, mas segue competindo com a gente. Com o tempo, os outros alunos se entusiasmaram e também quiseram começar a correr. Desde então, nos mantemos com ajuda de doações”, destaca Elaine.

De acordo com a professora, somente em 2017 o projeto começou a contar com uma parceria do poder público no transporte para aulas e competições, e na cedência do espaço para treino, uma vez por semana, no Campo Esportivo da Celulose. No restante, as despesas são custeadas com a ajuda de amigos e a escola também colabora com algumas inscrições e alimentação para os atletas em dias de provas. “Eles gostam, se eu deixar vem toda a escola, mas é complicado”, comenta a professora.

Veja como você pode ajudar

Laura Gallas/GES-Especial
Projeto atende cerca de 20 alunos atualmente
Elaine comenta que o ideal para que o projeto se fortalecesse seria o básico, como fardamento e recursos financeiros específicos para o projeto. Assim, poderiam arcar com taxas de inscrição e alimentação, porque muitos não possuem condições. “Aceitamos doações de tênis em bom estado, por exemplo”. Outra opção de ajudar seria possibilitar competições para os atletas.

Segundo a professora, é possível adotar um competidor e pagar a sua inscrição para determinada prova. “Isso tem dado muito certo, e eles têm força de vontade, merecem participar disso para se sentirem valorizados”, comenta, complementando que o vereador Marcelo Savi está batalhando para criar um fundo do esporte para que entre recursos para os esportistas. Interessados em conhecer mais o projeto e ver a melhor forma para ajudar podem entrar em contato pelo número (54) 3282-3435.

Determinados e com futuro

Laura Gallas/GES-Especial
Projeto atende cerca de 20 alunos atualmente
Além de lutar pela existência do projeto e criar motivações de vida para os alunos, Elaine acredita no futuro deles. “Para mim, o mais importante e gratificante é isso, não só desenvolver o lado competitivo, mas que eles criem uma nova expectativa de vida”, destaca. A professora diz que muitos dos alunos que saíram da escola para ingressar no ensino médio já sinalizaram que gostariam de cursar educação física. “Temos grandes talentos que se fossem investidos iriam longe, como a Luana e o Manuel, mas em muitos casos eles precisam entrar no mercado de trabalho e acabam se distanciando dos treinamentos, já que se manter do esporte é complicado”, lamenta, mas insiste na determinação: “Mesmo sem treinar, às vezes, eles conseguem correr bem nas competições, porque eles têm talento. Luana e Manuel têm uma bolsa na academia FitWell”.

Reconhecimento dos pais

Ilton Müller/Ges-Especial
Família acompanha o filho
O esforço da professora e dos alunos que participam do projeto é reconhecido pelos pais, que inclusive apoiam financeiramente. É o caso do casal Daniela Jardim e Alexandre Araújo, pais do atleta João Pedro, 7 anos, o menor da turma. “Foi ele quem pediu para participar. E para ele foi ótimo”, relata a mãe. O pai cita que o menino gosta de esportes, inclusive está começando a praticar karatê. Na foto eles estão com a filha mais nova, Anita Mariah, 4 anos.


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS