Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Cris Manfro

30 anos...

"Quantos encontros, quantas lutas, enfrentamentos, batalhas vencidas e superadas"
10/12/2017 06:00

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Esta é marca a que chego de profissão neste dezembro. Quantas histórias para contar. Muitos heróis passaram e passam por mim, que e tive e tenho a oportunidade de conhecer. Heróis de carne e osso, do cotidiano, que me confundem e fazem acreditar que eles têm poderes sobrenaturais, são “super” em tudo. Super pais, mães, companheiros (a), professores, profissionais, super pessoas.

Quantos amores eu presenciei! Amores de todos os jeitos, que me afirmaram, como na música, que “qualquer maneira de amor vale à pena”. Amores fortes, reais e que superaram dores e desafios inacreditáveis. Amores ousados, metidos, subversivos que teimam em continuar e vencer a cada dia. Que não desistem, mas que se entregam um ao outro sem medo e nem rancor. Que toleram, flexibilizam, que têm paciência e abrem mão do “meu jeito” para buscar o “nosso jeito”. Amores que perdoam. Conheci pessoas como eu, que levantam e seguem em frente sem perder a essência e acreditam no ser humano.

Quantos encontros, quantas lutas, enfrentamentos, batalhas vencidas e superadas. Quantos renasceres de lutos, perdas, separações e decepções. Quantos nasceres para novas vidas, novos amores, desafios e conquistas. Quantos limites quebrados e quantos limites postos. Quantas viradas de mesa, mudanças e transformações.

Quantas lágrimas de dor, porém quantas transformadas em alegrias. Vi muitas lágrimas serem ressignificadas em lágrimas de vitórias e conquistas.

Tudo isso eu presenciei e disso tudo vieram heranças: três filhos colegas, que não vieram certamente pela conta bancária da profissão. Vieram pela conta afetiva e amorosa dos laços de amizade e pela satisfação e prazer de ter força de fazer pelo outro. Veio a convivência com colegas de profissão de todas as idades, que são como uma família maior que luta pela psicologia, pela igualdade e contra os preconceitos. Luta a favor da compaixão, empatia e generosidade entre todos. Vieram alunos que eu vejo me “passarem a perna” e me superarem em todos os sentidos. E eu adoro isso. Adoro vê-los ir longe, quebrar fronteiras e recordes pessoais.

Eu só tenho que agradecer. Agradecer à turma de psicologia de 1987, que foi a melhor turma que alguém possa ter, exemplos de pessoas e profissionais. Aos melhores professores do mundo, que me ensinaram a estudar e a fazer o melhor. Aos jornais, revistas,TVs e editoras, que sempre abriram espaço para minha voz ir longe. Aos colegas e professores de especializações que me fizeram catapultar em conhecimento e amadurecimento. A todos da minha família que gentilmente me compartilham com tanta gente e me apoiam para ir além... além mar, sonhos, alma.

Em especial, obrigada a quem com fé confia a sua vida a mim. Esse é o maior sentimento de validação que eu possa ganhar: a escolha e a confiança de alguém. Que eu seja abençoada de todas as formas e possa devolver um pouco de tudo que ganhei. À psicologia o meu eterno amor, dedicação e respeito. Prometo honrar até o fim da minha vida e devolver na mesma altura tudo que recebi, cada vez com mais comprometimento e doação. Agora a emoção pegou e tenho que chorar um pouquinho...


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS