Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Niyama
Blog Niyama

Do que você está fugindo?

Aquela conversa difícil com a pessoa que amamos. Uma decisão de mudar de emprego. Mudar de atitude. Mudar de vida.
26/01/2018 18:00 26/01/2018 18:02

“A zona de conforto é um lugar lindo. Pena que nada cresce nela.”

Essa frase tem aparecido pra mim com frequência. E me faz pensar o quanto a gente passa boa parte da vida fugindo. 

Todos nós fugimos de alguma coisa. Aquela conversa difícil com a pessoa que amamos. Aquela ida ao médico ou à academia. Aquela situação chata no banco. Uma decisão de mudar de emprego. Mudar de atitude. Mudar de vida.

Tem coisas que me incomodam muito. E é surpreendente o quanto é difícil mudá-las. Parece que, muitas vezes, preferimos o sofrimento conhecido à possibilidade de algo melhor. Cheguei à conclusão que fugimos de tudo que pode trazer mudança. Porque mudança traz desconforto. E como a gente odeia desconforto, né? Então é mais fácil fingir que está tudo bem. Que é uma fase, que vai passar. O problema é que já está desconfortável. E se a gente para pra escutar, de verdade, lá naquele cantinho escondido do coração, já sabemos o que nos incomoda. Sabemos qual é o problema. E provavelmente sabemos o que precisamos fazer pra resolver. Mas sempre tem aquele questionamento que chega até a ser inconsciente: e se der errado? E se não terminar do jeito que eu gostaria?

Bom, provavelmente não vai. Mas a vida tem um jeitinho bem legal de surpreender e, quem sabe, até de mostrar com vários sinais o caminho que a gente precisa seguir pra descobrir como trilhar os próprios passos. Não dizem que Deus escreve certo por linhas tortas? Na hora, a gente não entende, mas se conseguimos enfrentar nossos medos, depois que passa o furacão, quase sempre dá pra olhar pra trás e observar, aprender e entender muita coisa.

O medo do desconhecido é normal. É comum. E até ajuda a tomar decisões de uma forma um pouco mais consciente e alerta. Mas quando o medo paralisa, faz a gente mesmo se obrigar a viver de uma maneira que provavelmente não é a melhor ou a mais saudável. Quando a gente foge, acaba andando em círculos. O único jeito de quebrar esse ciclo é levantar a cabeça e dar aquele passo para o lado. De repente, um novo trajeto vai se montando e a gente vai descobrindo um novo jeito de caminhar.

E você? Está fugindo de quê? Pense nisso. A melhor maneira de ficar zen é enfrentar o que você teme. O resto é disfarce.

*Texto lido no bloco Momento Zen, do programa Carona, da Rádio ABC 900 AM


Jornal de Gramado

Niyama

por Raquel Reckziegel
raquel.reckziegel@gruposinos.com.br

Mente. Energia vital. Autoconhecimento. Respeito ao corpo, aos próprios limites e ao mundo em que vivemos. A prática do yoga vai muito (mas muito mesmo!) além de meia dúzia de posturas de alongamento. O blog Niyama* surgiu justamente para apresentar um pouco desta fascinante filosofia de vida que se concentra não somente no corpo, mas em aquietar as flutuações da mente, curtir o presente e descobrir uma forma diferente de encarar a vida. Raquel Reckziegel é jornalista, trabalha na redação online dos sites do Grupo Sinos e pratica yoga há quase dois anos. (*Niyama é uma espécie de "código de conduta" que permite ao praticante olhar para dentro de si seguindo cinco conceitos: pureza, ou saucha; contentamento, ou santosha; austeridade, ou tapas; auto-estudo, ou svadhyaya; e devoção (ishvara-pranidhana).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS