Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Planejamento

Nova Petrópolis muda as regras para o parcelamento do solo; confira as alterações

A nova legislação prevê ruas mais largas e exige reserva de espaços públicos em novos loteamentos
28/11/2017 20:32 28/11/2017 20:34

Adriana Monteiro Arrial/Comunicação PMNP
Novas exigências permitirão melhor ocupação do território de Nova Petrópolis

O município de Nova Petrópolis já está com novas regras para o parcelamento do solo. A matéria foi aprovada pela Câmara de Vereadores no dia 23, após apreciação do Projeto de Lei nº 044/2017 e o prefeito de Nova Petrópolis, Regis Luiz Hahn, também sancionou na segunda-feira (27) a Lei n° 4.690/2017, que altera a legislação existente. As principais mudanças são referentes as larguras de vias, áreas institucionais e áreas verdes.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Planejamento, Coordenação, Trânsito e Habitação, as vias serão mais largas, passando para 15 metros a largura mínima. As áreas institucionais - utilizadas para praças ou para edificação de prédios públicos - serão obrigatórias em todos os loteamentos, e deverão estar localizadas em lotes com pequena declividade e com dimensões mínimas que atendam ao seu objetivo. As áreas verdes poderão ser destinadas dentro de Área de Preservação Permanente (APP) definida por legislação Federal. Existem resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) que flexibilizam as áreas de APP para outros usos. Com a inserção da Área Verde dentro da APP, esta terá preservação garantida também por Lei Municipal.

A urbanização de áreas com declividade entre 30 e 45%, não prevista na Lei anterior, foi regulamentada na Lei n° 4.690/2017. Porém, os lotes nestas condições terão restrições maiores que os demais quanto ao uso. Isto significa que estes lotes serão maiores e as edificações construídas nestes deverão ser menores, garantindo assim a permeabilidade, estabilidade dos taludes (inclinação na superfície lateral de um aterro, de um muro ou de qualquer obra) e a preservação da cobertura vegetal. “Desta forma, o Município de Nova Petrópolis vai garantir um grande avanço na direção da ocupação ordenada das encostas”, declarou o secretário Municipal de Planejamento, Hermann Deppe.

“Quanto às obras de infraestrutura dos loteamentos, agora existem critérios técnicos claros, estabelecidos em Lei, possibilitando ainda o embargo por parte do Município a qualquer momento, caso estes não sejam atendidos”, disse o secretário.

Segundo a Lei sancionada nesta segunda, o registro imobiliário dos lotes - condição indispensável para a venda - será autorizada apenas quando a infraestrutura básica estiver implantada, ou seja, quando o empreendimento tiver as devidas condições de receber obras de edificações e for habitável. Estas condições são: a demarcação de lotes, instalação de redes de água, pluvial, luz, iluminação pública e vias pavimentadas. O registro do lote será já com o nome definitivo da rua, evitando, desta forma, incômodos e custos desnecessários com certidões e averbações.

Além da infraestrutura básica citada, o loteador deverá instalar ainda hidrantes, sinalização de trânsito horizontal e vertical e placas com denominação das ruas. Em caso de restrição ambiental ou pelo grande número de lotes , o Município poderá exigir a implantação de rede de coleta e estação de tratamento de esgoto.

“Todas estas alterações tem o objetivo de oferecer maior segurança aos compradores dos lotes, redução de custos ao Município, assegurar existência de áreas institucionais aproveitáveis, melhoria da infraestrutura, da mobilidade urbana e garantia de uma ocupação do solo ordenada e comprometida com a preservação do meio ambiente”, declarou Deppe. O secretário Municipal disse ainda que “para que estes objetivos sejam alcançados, o futuro comprador deverá adquirir apenas lotes que possuam Matrícula no Registro de Imóveis”.


Jornal de Gramado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS