Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Prevenção

Calcinha é usada para proteger contra ISTs durante o sexo oral

Com frente em látex, peça impede contato direto da boca com mucosa vaginal

Gabriela da Silva/GES-Especial
Calcinha pode ser reutilizada até oito vezes, desde que higienizada corretamente

O sexo oral pode ser muito prazeroso para a mulher, mas é importante também que seja seguro para evitar a transmissão de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, a cada ano, 78 milhões de pessoas são infectadas por gonorreia e quase seis milhões pela sífilis – no Brasil, o número de casos de sífilis notificados passou de 1.249 em 2010 para 65.878 em 2015, segundo o Ministério da Saúde. Isso sem contar casos de herpes e HPV, que também se disseminam a níveis alarmantes.

Para reforçar a cultura da prevenção, surgiu em Sapucaia do Sul a Calcinha de Vênus, lançada em março deste ano. A coach sexual e de relacionamento Sibele Severo explica que a peça foi criada para prevenir sem comprometer a relação, já que o látex na parte da frente, semelhante ao do preservativo, impede o contato da boca com a mucosa vaginal, principal meio de contágio. A gonorreia, por exemplo, é uma doença que demora a manifestar sintomas, mas pode infectar genitais, reto e garganta. Neste último caso aumenta a chance de o micro-organismo ficar resistente a antibióticos, pois este tipo de medicamento é administrado em menor dosagem para infecções nesta área do corpo já cheia de bactérias, entre as quais algumas que desenvolveram a resistência a drogas.
“A camada de látex é fina e não interfere na passagem de calor e no toque. Pensamos numa modelagem que atingisse todos os públicos e deixasse a mulher confortável, com modelos tanga, calcinha e shortinho, também nos tamanhos plus size”, comenta Sibele, uma das idealizadoras da peça.

A calcinha pode ser reutilizada até oito vezes, desde que higienizada corretamente, com água e sabão neutro. Depois, basta remover o látex e o modelo pode ser usado como uma lingerie erótica. “Muitas mulheres com HIV também têm nos procurado para se sentirem mais seguras em não passar o vírus ao parceiro ou parceira. Embora não seja um preservativo, mas uma calcinha protetora”, diz a coach sexual.

Prazer e autoestima

O uso da Calcinha de Vênus está ligado também à questão da autoestima e ao prazer feminino. Sibele diz que é muito comum ouvir que as mulheres têm vergonha de receber o sexo oral ou que os parceiros têm nojo de fazer. “A calcinha está dentro de um contexto que incentiva a mulher a se tocar, a conhecer seus pontos de prazer. A mulher tem que ser protagonista do próprio prazer e a saber também o que quer do parceiro”, destaca.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS