Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Tecnologia
Desenvolvimento

Robôs inventam língua e são desligados

Pesquisa do Facebook com chatbots teve resultado inesperado

Arte distribuída em Creative Commons
Concepção artística da inteligência artificial. Chatbots do Facebook criaram uma língua própria, mas ela aparentemente não servia para nada
Parece enredo de ficção científica. Cientistas colocaram dois robôs para conversar, a fim de observar como suas programações diferentes interagiam. A dupla dialogou durante um tempo. Lá pelas tantas, porém, começou a usar uma linguagem desconhecida. Sem poder entender o que os robôs estavam falando na língua que tinham inventado, os cientistas resolveram desligá-los.

A história aconteceu, mas não é tão dramática, claro. Pesquisadores do Facebook publicaram em julho um artigo científico, depois resumido no blog de desenvolvedores da empresa, relatando os resultados de um experimento com chatbots. Trata-se de robôs de bate-papo, programas criados para atendimento, como aqueles roteiros automatizados das centrais de autoatendimento.

Os pesquisadores estavam interessados em criar mecanismos para que os robôs fossem capazes de negociação, ou seja, transigir, dentro de parâmetros específicos. Dois chatbots, chamados Alice e Bob, foram colocados nesta tarefa. Eles começavam com frases e perguntas com solicitações um ao outro, e precisavam chegar a um meio termo.

Depois de um tempo falando, os chatbots chegaram a uma situação inesperada. Eles modificaram as frases e começaram a se comunicar com fragmentos de palavras e repetições. Os autores concluíram que os roteiros automatizados tinham simplesmente chegado à forma mais rápida e curta de formar as frases, o que cumpriu um dos parâmetros de programação mas os afastou da linguagem humana e limitou a serventia para a finalidade do experimento. Com isso, a experiência foi encerrada. Os chatbots foram desligados.


Tecnologia

por André Moraes
andre.moraes@gruposinos.com.br

André Moraes é editor de Tecnologia do Jornal NH. Sua experiência profissional inclui o jornalismo de divulgação científica, publicações técnicas e reportagem de tecnologia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS