Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Campeonato Gaúcho

A fábrica de bons goleiros do Internacional

Colorado levou nos pênaltis a vaga para a final do Gauchão

Keiller foi o nome do jogoQuando uma equipe é obrigada a colocar o segundo goleiro em um jogo de decisão de campeonato, o estômago de qualquer torcedor se torce em desespero. Quando tem que apelar para o substituto do substituto, então, as esperanças de uma vitória vão para o espaço.

Não se o time for o Internacional de Porto Alegre. 

No meio da semana, o competente Marcelo Lomba, que substituía Danilo Fernandes enquanto ele se recupera de fratura, já havia feito bonito contra o Corinthians, pegando dois pênaltis e garantindo a classificação na Copa do Brasil. Mas aos 8 minutos de jogo, na cobrança de um inocente tiro de meta, uma lesão na coxa fez com que Zago chamasse o terceiro substituto para o jogo. Keiller, 20 anos, estreou pela equipe com a missão de segurar o resultado no estádio do adversário.

Para o Inter, o empate era um ótimo resultado, já que garantiria a vaga na final, e foi isso que o restante da equipe tentou garantir e nada mais. Sem criatividade no ataque, o Caxias foi pra cima para tentar reverter o resultado do primeiro jogo. E o medo da torcida se confirmou logo aos 25 minutos. Em um cruzamento na área, Júlio César tocou, Keiller não chegou com força suficiente na bola e ela entrou: 1 a 0. O resultado levava a partida aos pênaltis.

No segundo tempo, outro susto. Léo Ortiz fez falta dentro da área e Brenner foi expulso por empurrar o juiz. O Caxias poderia matar o jogo, novamente aos 25 minutos. Mas brilhou a estrela dos goleiros colorados e Keiller segurou o pênalti cobrado por Gilmar. Infelizmente, a qualidade dos arqueiros não se reflete no resto da equipe e a partida foi para as penalidades máximas.

Lá, o Inter, já acostumado com as cobranças, acertou todas. O Caxias não. Marlon bateu no canto direito e Keiller pegou, mostrando que a fábrica de goleiros Internacional segue produzindo material de qualidade.

Agora, o Inter pega o Novo Hamburgo na primeira partida pela final do Gauchão, no próximo domingo, no Estádio Beira-Rio.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS