Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Emílio Leobet, 1559, sala 21 - Bairro Avenida Central - Gramado/RS - CEP: 95670-000
Fones: (54) 3286.1666 - Fax: (54) 3286.4015

PUBLICIDADE
Colômbia

''Menino-anjo'' que ajudou a achar o avião da Chapecoense, ganha casa

Jornalista Rafael Henzel, um dos sobreviventes, compartilhou com seus seguidores nas redes sociais a ajuda recebida pelo garoto
Fundación Compasión/Divulgação
Johan Ramirez com a casa nova ao fundo: presente que homenageia a todos que estiveram envolvidos na catástrofe com o voo da Chapecoense
O garoto colombiano Johan Ramirez, de 15 anos, que ajudou as equipes de resgate a localizar os destroços do avião com a delegação da Chapecoense, que caiu em 28 de novembro de 2016, em La Union, cidade próxima a Medellín, recebeu um grande presente neste final de semana. O jornalista Rafael Henzel, um dos seis sobreviventes da tragédia que matou 71 pessoas, entusiasmado, compartilhou o feito em suas redes sociais.
Johan e sua família moram na aldeia Pantalio, a cerca de 10 minutos do local onde ocorreu o acidente com a Chapecoense. A morada anterior era bastante precária. A nova, de 96 metros quadrados, tem três quartos, um banheiro, sala de jantar e sala de serviço. "Todos os quartos têm janelas e a vista é linda", disse Isabel Cristina Bouhot, diretor de Fundação Compasión, uma organização que construiu a casa para o "menino-anjo", como é conhecido o garoto após a tragédia aérea. Conforme relatado pela jornal El Tiempo, as obras de construção duraram oito semanas.
Ao redor da casa várias plantações foram feitas: um jardim em homenagem aos trabalhadores de resgate; um pomar, em honra de camponeses colombianos; uma cerca viva, com 71 árvores, que honra a memória dos que morreram no acidente de seis árvores de fruto por sobreviventes do acidente.
O local onde a casa foi construída foi doado por Margarita Ramirez, proprietário do terreno onde o pai de Johan trabalha há muitos anos; e materiais para a construção, pelo empresário da província de Antioquia Juan Carlos Gallego, que já havia ajudado a Fundação Compasión com outros projetos, disse Bouhot. Os bens que equipam a casa nova faziam parte de doações recebidas pela entidade.
Desde sábado, a família de Johan vive o sonho de uma casa, e logo ele vai realizar outro. Na quinta-feira, a convite do Real Madrid, ele vai para a Espanha para ver o time jogar. "Estamos muito satisfeitos. O que era um sonho agora é uma realidade", disse Johan.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS